Bom de ver, conhecer e curtir

Atrativos da capital paraense vão das sedutoras opções gastronômicas ao turismo histórico e religioso

iG Minas Gerais | Fernando Almeida |

O complexo turístico Feliz Lusitânia, na capital paraense, reúne um conjunto arquitetônico suntuoso
Jean Barbosa paratur/divulgação
O complexo turístico Feliz Lusitânia, na capital paraense, reúne um conjunto arquitetônico suntuoso

Belém é uma cidade para achados e encontros, tendo sempre presentes a tradição e a simplicidade de um povo sincero e surpreendente.

Repleto de sedutores atrativos, um roteiro pela capital paraense pode começar por um passeio no Mercado Ver-o-Peso, que começa a funcionar às 3h30, mas abre para o público às 6h e fecha às 14h. Considerado a maior feira livre da América Latina, o complexo conta ainda com dois mercados, um de peixe e outro de carne. Principal cartão postal da cidade, tem 30 mil m² e recebe cerca de 50 mil pessoas por dia.

Depois desse mergulho no mercado, uma passagem pelo Complexo Feliz Lusitânia, com visita ao Forte do Presépio, Casa das 11 Janelas e Museu de Arte Sacra podem ser uma ótima pedida. Pouco antes do almoço vá ao Museu Histórico do Estado do Pará (MHEP). Almoce no renomado restaurante Lá em Casa, na Estação das Docas, espaço turístico onde você poderá tomar sorvete e conhecer um pouco mais da gastronomia, história e cultura locais.

Já no fim da tarde faça um “river tour” à frente da Estação das Docas, na baía do Guajará. E para provar a comida nativa vá ao Point do Açaí, onde é servido um delicioso peixe preparado no açaí.

São muitos os atrativos e, ainda, na capital do Pará, é possível conhecer o parque ecológico do Mangal das Garças, que é fruto da revitalização de uma área de 40 mil m², onde são reproduzidos diferentes ambientes da flora amazônica e que integra o Borboletário, o Farol de Belém, o Mirante do Rio e o Museu Amazônico de embarcações típicas. Na sequência, vá ao Espaço São José Liberto para conhecer as gemas do Polo Joalheiro e a arte da Casa do Artesão. Siga para o Santuário Basílica de Nossa Senhora de Nazaré, onde conhecerá a principal referência do Círio de Nazaré. Termine a tarde no famoso Tacacá da Dona Maria e se prepare para a noite no Palafita.

Variedade A riqueza cultural de Belém está entrelaçada aos sabores e cheiros da diversa gastronomia amazônica. É impossível visitar a capital do Pará sem se deliciar com a culinária local e aprimorar seu paladar com várias novidades. Os curiosos nomes dos alimentos indígenas, como tacacá, maniçoba, tucupi e jambu, e a variedade de peixes também são marcas dessa região, já que a parte central da metrópole paraense fica no leito da baía do Guajará e do rio Guamá, além de ser uma cidade-arquipélago formada por 39 ilhas, algumas com infraestrutura para o turismo, como Mosqueiro, Outeiro e Cotijuba.

Destaques

Estação das Docas

Com 500 m de orla fluvial do antigo Porto de Belém, esse local é um dos espaços que mais refletem a região amazônica. O complexo, muito visitado por turistas, congrega a gastronomia, a cultura, a moda e os eventos locais.

Mangal das Garças

O espaço naturalístico reproduz as diferentes macrorregiões da flora paraense: as matas de terra firme, as matas de várzea e os campos. Uma poética síntese do ambiente amazônico no coração urbano de Belém.

Crença

Barqueiros no Mercado Ver-o-Peso assistem à passagem da imagem de Nossa Senhora, em Belém. Essa procissão é considerada a maior do país e reúne mais de 2+ milhões de pessoas nas ruas da capital paraense.

Onde comer

A variedade de locais para apreciar a culinária local é muito grande. E em cada lugar há uma nova experiência gastronômica.

Lá em Casa: av. Boulevard Castilho França, s/n, Estação das Docas – (91) 3212-5588. Point do Açaí: rua Óbidos, 206 – (91) 3032-3269) Remanso do Peixe: trav. Barão do Triunfo, 2590 – (91) 3228-2477. Tacacá da Dona Maria: av. Nazaré, 902 – (91) 9142-0433. Portinha: rua Doutor Malcher, 434 – (91) 9115-2222.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave