Criança encontrada dentro de mala ganha roupas e fraldas

Campanha foi organizada pelos militares que participaram do resgate do bebê; batizada como Alice Vitória, está sob os cuidados da família paterna

iG Minas Gerais | Bruna Carmona |

Soldado Gustavo Fiuza (à esquerda) e cabo Marconi Rocha entregam donativos ao pai e à avó do bebê
Arquivo pessoal
Soldado Gustavo Fiuza (à esquerda) e cabo Marconi Rocha entregam donativos ao pai e à avó do bebê

A recém-nascida que foi escondida em uma mala pela própria mãe, horas após o parto, recebeu fraldas, roupas e leite nesta sexta-feira (16). Os donativos foram arrecadados por meio de uma campanha criada pelos militares do 40º Batalhão de Polícia Militar (BPM) que a encontraram, em Ribeirão das Neves, na região metropolitana de Belo Horizonte, no início do mês de maio. A mãe da criança, Graziele Gisele de Oliveira, de 33 anos, foi presa.

De acordo com o cabo Marconi Vieira Rocha, que junto com o soldado Gustavo Fiuza Gomes participou do resgate da criança, a iniciativa surgiu depois que os militares foram visitar o bebê no último sábado (10), na casa da família paterna. Segundo ele, o pai da menina não sabia que Graziele estava grávida e a chegada da criança, batizada como Alice Vitória, foi uma surpresa. "Saímos de lá contentes em ver que a menina estava bem e achamos que poderíamos fazer mais por ela, já que a família não estava preparada para recebê-la", conta o cabo.

A campanha mobilizou militares do 40º BPM, que conseguiram recolher vários pacotes de fraldas, latas de leite e roupas. Os donativos foram entregues ao pai de Alice, na casa da família, que fica em Justinópolis.

Entenda o caso

No dia 7 de maio, uma denúncia anônima levou a Polícia Militar até uma casa em Justinópolis, onde uma mulher teria colocado um recém-nascido dentro de uma mala e escondido dentro de um guarda-roupas. Os militares foram até o local e constataram que a denúncia era verdadeira. De acordo com o cabo Marconi, o bebê ficou na mala por cerca de 14 horas.

A mãe da criança, Graziele Gisele de Oliveira, está presa. Ela morava sozinha com os três filhos de 3, 5 e 9 anos, e afirmou à polícia que não contou a ninguém sobre a gravidez. Graziele e a menina foram levadas para o Hospital Risoleta Tolentino Neves, onde receberam atendimento. As duas passam bem e a criança foi entregue à família do pai. 

Leia tudo sobre: bebêdonativoscriançapolícia