Clarín anuncia como irá repartir empresas do grupo

O grupo evitou dar a titularidade a herdeiros por receio de que agência que monitora os meios de comunicação no país vetasse a operação

iG Minas Gerais | DA REDAÇÃO |

Os novos donos de partes dos negócios do grupo de mídia Clarín devem ser anunciados ainda esta sexta (16).

O desmembramento do grupo é decorrência de uma aplicação da Lei de Mídia do país. O governo já havia dado ultimatos para que os acionistas vendessem partes do conglomerado. O grupo é dono de jornais, revistas, rádios, canais de TV aberta, TV fechada e provedores de internet. O conjunto de negócios será separado em seis unidades.

Os quatro principais acionistas vão se separar em duas duplas. Cada uma dessas duplas ficará com uma das seis unidades. Dessa forma, manterão controle de maior parte das atuais empresas que compõem o grupo. As quatro partes restantes vão ficar com empresários que serão anunciados.

A primeira dupla, José Aranda e Lucio Pagliaro, irá deter o controle dos principais meios audiovisuais.

Outros dois sócios, a viúva do fundador do Clarín, Ernestina Herrera Noble, e um executivo que até o começo deste ano era o diretor-executivo, Héctor Magnetto, formam a segunda dupla, que irá ter uma parte do negócio mais rentável: a fornecedora de TV a cabo, Cablevisión.

O grupo evitou dar a titularidade a herdeiros por receio de que agência que monitora os meios de comunicação no país vetasse a operação.

Até hoje, o grupo era dividido da seguinte forma: 70% eram de Ernestina Herrera de Noble e Héctor Magnetto e outros 30% eram de Aranda e Pagliaro.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave