Justiça mineira absolve brasileiro de assassinato em Portugal

Servente de construção civil teria matado um compatriota em Lisboa, em 1993; o homem foi incriminado de participação na morte por dois brasileiros, que confessaram ajuda para esconder o corpo

iG Minas Gerais | da redação |

O Tribunal de Justiça de Minas Gerais inocentou, nessa quarta-feira (14), um servente de construção civil de Pedro Leopoldo, acusado de assassinar o patrão a marteladas em Portugal na década de 90. Ele havia sido incriminado por outros dois brasileiros, que confessaram participação no homicídio.

O Ministério Público sustenta a versão de que a vítima descobriu que o servente fazia ligações telefônicas clandestinas para o Brasil, e houve um desentendimento entre os dois após o servente ser cobrado em R$ 2 mil pelas chamadas.

Ainda de acordo com o MP, eles se encontraram em um cemitério de Lisboa, em 1993, e o servente desferiu golpes com um martelo para matar o patrão. Os dois brasileiros que incriminaram o servente confessaram ajudar a esconder o corpo. Eles foram julgados e condenados por ocultação de cadáver.

A defesa contestou a falta de provas do ministério Público e alegou que os dois brasileiros julgados em Portugal são também os assassinos. Segundo o advogado do servente, os dois homens aproveitaram que Seu cliente voltou para o Brasil para atribuir a ele a autoria do homicídio, obtendo assim uma pena mais branda.

A defesa argumentou ainda que, desde que retornou ao Brasil, o servente tem levado uma vida normal, com residência fixa em Pedro Leopoldo, trabalho com carteira assinada e sustentando duas filhas, negando assim uma conduta de fugitivo.

Ele foi inocentado por maioria dos votos do 1º Tribunal do Júri. Cabe recurso da decisão, tomada em primeira instância.

Com TJMG

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave