Bebê de 8 meses pode morrer, mas mãe não aceita tratamento médico

Criança está com quadro gravíssimo de bronquiolite, mas jovem fugiu do hospital com menina; segundo avó materna, mulher está com problemas mentais

iG Minas Gerais | CAROLINA CAETANO |

O transtorno mental de uma mãe de Araxá, no Triângulo Mineiro, pode causar a morte da filha de 8 meses. A mulher de 22 anos desapareceu com a criança, nessa quinta-feira (15), após não autorizar que médicos cuidassem de um quadro gravíssimo de bronquiolite do bebê.

Conselheiras tutelares da cidade contaram à corporação que foram acionadas por uma médica do Posto de Saúde da Família (PSF) do bairro Estância informando que havia pedido que a mãe fosse até a unidade de atendimento com a filha. T.J.O chegou a ir ao posto, mas, devido à gravidade da doença, a garota precisou ser transferida de ambulância para o Hospital Santa Casa.

Já na instituição, a mãe não deixou que os médicos cuidassem da menina. Ela fugiu do hospital, mas foi localizada em casa pelas conselheiras. Muito irritada, a jovem xingou as mulheres e não autorizou que elas levassem sua filha de volta para o hospital, mesmo sabendo que a criança corre risco de morte.

As conselheiras avisaram a polícia, mas, quando eles chegaram, T.O já havia fugido. Segundo vizinhos, ela entrou em um táxi com a filha. A médica do PSF disse que a mulher está com problemas de saúde mental, o que foi confirmado pela avó materna do bebê.

Militares fizeram rastreamento na região, mas mãe e filha ainda não foram localizadas. 

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave