Descontos para não perder o sonho

Depois que bufê deu calote em várias noivas, donos de outros estabelecimentos facilitam preços

iG Minas Gerais | Juliana Gontijo |

Concorrência. O bufê de Daniel Henrique está oferecendo desconto de até 15% para as vítimas
MARIELA GUIMARAES / O TEMPO
Concorrência. O bufê de Daniel Henrique está oferecendo desconto de até 15% para as vítimas

O mercado de bufês está se movimentando para atender os clientes que foram prejudicados pelo encerramento das atividades do Tereza Cavalcanti Buffet, no bairro Santa Amélia, na Pampulha, na capital, que tem dívidas estimadas em até R$ 10 milhões. As empresas estão oferecendo descontos e facilidades de pagamento. O Buffet Gourmet é uma delas. O proprietário da empresa, Daniel Henrique de Souza, conta que está oferecendo desconto de 15%, além do parcelamento em até 12 vezes no cartão de crédito, com 20% de entrada. “Há também crediário, que depende do banco. É uma condição especial, sendo necessário apresentar o contrato feito com o outro bufê”, frisa.

Ele explica que, normalmente, o cliente dá um sinal de 20%, podendo pagar o restante em até 10 dias antes da festa ou ainda parcelar, com a opção de transferência bancária ou depósito, sendo que o restante deve ser pago em até 20 dias antes do evento. “Estamos trabalhando com uma exceção, que é o pagamento para depois da festa. Isto não acontece no mercado”, diz.

O empresário conta que nessa quarta fechou contrato de uma das clientes do Tereza Cavalcanti, que tem festa agendada para junho. “Devemos fechar mais. No sábado e na próxima quarta-feira, já estão programadas degustações”, esclarece.

Souza ressalta que a notícia é ruim para o setor que passa a ser visto com mais desconfiança pelo consumidor. “O que eu ouvia falar era que o bufê estava passando por dificuldades financeiras”, aponta.

No bairro Bandeirantes, também na região da Pampulha, o salão Chalé Pampulha está oferecendo a opção de parcelamento no cartão de crédito para depois da festa, conforme o proprietário da casa, Lucas Malard. O objetivo é facilitar a vida do casal que deverá ter dificuldade para desembolsar de R$ 15 mil a R$ 20 mil em pouco tempo. “A gente trabalha com o sonho de cada noiva, e eu já vi noivas chorarem em situações não tão graves como, por exemplo, problemas com fornecedores. A gente entende que isso é um sonho para elas, por isso, se coloca na situação delas. Nós temos um espaço de festas e bufês e, como nossa estrutura é muito boa, conseguimos fazer eventos fora”, diz.

Ele conta que também já foi procurado por clientes do Tereza Cavalcanti Buffet. Nessa quinta foi feita degustação com uma noiva que se casa no próximo final de semana. “A gente está fazendo um preço menor do que se pratica no mercado, eu estou até dividindo no cartão para depois da festa”, frisa.

Depoimentos já começaram

Dois clientes e mais um funcionário do Tereza Cavalcanti Buffet estiveram na 2ª Delegacia Especializada de Falsificação, Sonegação Fiscal e de Crimes da Administração Pública para prestar depoimento. A delegada Wanessa Santana Martins entrou em contato com o advogado da empresária e pediu o comparecimento dela. A alegação foi que a empresa está passando problemas financeiros. Nessa quinta, o site do Tereza Cavalcanti Buffet já não estava mais no ar.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave