União entre erudito e popular

Cantora Rosa Passos retorna a Belo Horizonte para apresentar repertório de MPB ao lado da Orquestra Sinfônica

iG Minas Gerais | LUCAS SIMÕES |

Intérprete. Rosa Passos gravou no ano passado disco dedicado ao repertório de Djavan
unknown
Intérprete. Rosa Passos gravou no ano passado disco dedicado ao repertório de Djavan

Conhecida por ser dona de uma das vozes mais sexys do jazz, a baiana Rosa Passos, 62, é das poucas cantoras que se arriscam a interpretar de tudo sem pudor: do universo de Miles Davis, passeando pela bossa nova, à MPB. Depois de emocionar o público em concerto ao lado da Orquestra Sinfônica de Minas Gerais no ano passado, ela repete a dobradinha que volta a mesclar música erudita e popular em uma apresentação hoje à noite, no Cine Theatro Brasil Vallourec.

O concerto é uma homenagem aos principais nomes da MPB que a cantora interpreta há mais de 20 anos em sua carreira – que também fizeram parte da vida dela. O repertório é basicamente o mesmo do show realizado no Parque Municipal, em setembro do ano passado. Entre as pérolas que a cantora interpreta estão “É Luxo Só” e “Aquarela do Brasil”, de Ary Barroso, “Desenho De Giz”, de João Bosco, “Marina”, de Dorival Caymmi, e “Vivo Sonhando”, de Tom Jobim, dentre outros clássicos. “São nomes importantes para mim, como o Tom (Jobim), que sempre foi meu amigo. A principal diferença desta apresentação é que agora existe um clima intimista de teatro, diferente de um concerto ao ar livre. É legal porque as pessoas ficam mais focadas no show”, avalia Rosa.

Indicada ao Prêmio da Música Brasileira como melhor cantora pelo disco “Samba Dobrado” (2013), no qual ela faz releituras de canções de Djavan, Rosa Passos também inclui três músicas menos conhecidas do compositor alagoano nesta apresentação – “Cigano”, “Linha do Equador” e “Samba Dobrado”. “O Djavan é dos compositores que mais admiro, quis explorar o lado B dele no disco, e trouxe isso para esse concerto com a orquestra, porque acho que muito da música que ele faz ainda está inexplorado por outros intérpretes”, diz.

Todos os arranjos das 18 canções que serão apresentadas no show foram elaborados pelo regente titular da Orquestra Sinfônica de Minas Gerais, Marcelo Ramos, que também se apresentou com Rosa Passos no ano passado. “Os arranjos foram feitos a partir de gravações de discos meus, o Marcelo percebeu bem meu modo de cantar e como isso poderia se encaixar na orquestra mineira. Vai ser uma união linda do erudito e do popular”, diz.

Agenda

O quê. Rosa Passos e Orquestra Sinfônica de Minas Gerais

Onde. Cine Theatro Brasil Vallourec (Praça Sete – rua dos Carijós, 258, centro)

Quando. Hoje, às 20h

Quando. R$ 60 (inteira) e R$ 30 (meia-entrada)

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave