Agências bancárias fecham as portas após arrastões em Pernambuco

As agências ficam na BR-101 Norte, que cruza Abreu e Lima, a cerca de 500 metros do local onde ocorreu a maioria dos saques

iG Minas Gerais | DA REDAÇÃO |

Um dia após a onda de arrastões e saques a lojas e caminhões em Abreu e Lima, na Grande Recife, as agências do Banco do Brasil e da Caixa Econômica Federal do município decidiram não abrir as portas nesta quinta-feira (15). A greve dos policiais e bombeiros militares entrou em seu segundo dia, após o fracasso das negociações na tarde de quarta-feira (14).

As agências bancárias ficam na BR-101 Norte, que cruza Abreu e Lima, a cerca de 500 metros do local onde ocorreu a maioria dos saques. A informação sobre o fechamento das agências foi dada à reportagem pelos gerentes das agências. Nenhum deles, porém, quis dar entrevista.

Policiais e bombeiros militares estão parados desde a noite de terça-feira (13). O governo disse ter se comprometido na quarta-feira a atender três dos quatro principais pontos da pauta de reivindicação, mas os policiais não ficaram satisfeitos e decidiram manter a paralisação. Cabos e soldados fazem assembleia às 10h. Oficiais, às 14h.

Nesta quarta-feira (14), o presidente do TJ (Tribunal de Justiça) de Pernambuco, desembargador Frederico Neves, declarou a ilegalidade da greve de policiais e bombeiros militares. De acordo com o tribunal, o desembargador estabeleceu multa diária de R$ 100 mil para associações e movimentos independentes de PMs e bombeiros que não voltarem ao trabalho.

Homens da Força Nacional de Segurança Pública chegaram a Pernambuco nesta madrugada. Tropas do Exército são esperadas no Estado ainda nesta quinta (15).