“Ciclo do medo” volta a dar o tom na briga pelo Planalto

Programa do PT remete a vídeo tucano com Regina Duarte

iG Minas Gerais | Guilherme Reis |

Estratégia. O vídeo do  programa de TV do PT usa   mesmo conceito de campanhas passadas do PSDB
REPRODUCão VIDEO/PT/youtube
Estratégia. O vídeo do programa de TV do PT usa mesmo conceito de campanhas passadas do PSDB

A inserção do PT em rede nacional veiculada no último dia 13 se tornou mais um exemplo do “ciclo do medo” empregado em campanhas eleitorais no Brasil. Cientistas políticos entendem que a propaganda petista, que exibe pessoas se confrontando com seus próprios passados de miséria, tem o mesmo conceito utilizado por peças televisas do PSDB durante a corrida presidencial de 1998, com Fernando Henrique Cardoso, e em 2002, com José Serra. De acordo com o cientista político Gaudêncio Torquato, o modus operandi do PT reafirma a existência do “ciclo do medo” para vencer a eleição. “Desta vez, temos a inversão dos polos. O PT faz o que o PSDB fez. As duas legendas se valem do discurso do medo para prolongarem seus ciclos no poder”, ressaltou Torquato. O especialista também analisou as inserções do PSDB e do PSB veiculadas neste ano. Para ele, os socialistas “pisam em ovos” e os tucanos “usam o discurso mais racional”. “O PSB ainda precisa encontrar um discurso. As inserções estão entre oposição e situação. Os tucanos buscam atingir a cabeça do público, mostrando o que está ruim. Acredito que o antídoto para superar o medo seja fazer uma campanha em que se proponha mais e melhor.” O cientista político Paulo Roberto Leal também identifica a repetição do discurso do temor e entende que o uso de componentes emotivos é comum em campanhas no mundo inteiro. “Nos Estados Unidos, também é comum se utilizar do ingrediente emocional. Mas a efetividade da estratégia está ligada aos contextos político, social e econômico de um país. Em 2002, a tática não funcionou para Serra”, analisou. Para a oposição, o PT tentou furtar um discurso que seria dela. “Parece que o PT é oposição. Eles estão há 12 anos no poder e se dizem com medo dos fantasmas do passado. Eles são o passado e o presente”, opinou o deputado federal Domingos Sávio (PSDB). Já seu colega de Câmara Júlio Delgado (PSB) viu na peça um atestado de derrota. “Ficou claro que eles estão deixando escorrer pelas mãos o que conseguiram.” Passado. Em 1998, Fernando Henrique Cardoso, concorrendo à reeleição, espalhou a ideia de que se o petista Luiz Inácio Lula da Silva (PT) fosse eleito, o progresso conquistado por meio do Plano Real seria interrompido. O tucano venceu nas urnas. Em 2002, a atriz global Regina Duarte foi à TV defender a candidatura de José Serra (PSDB), que saiu derrotado. A artista renomada disse no programa: “Eu tenho medo. O Brasil pode perder toda a estabilidade que foi conquistada.

Precedente PT. Em 2010, a legenda disseminou a ideia de que se o PSDB chegasse à Presidência, o Programa Bolsa Família deixaria de ser pago às famílias em situação de pobreza extrema. 

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave