Unido, mas apenas por Temer

Em reunião com vice-presidente, diretórios de Minas e São Paulo formalizaram apoio a projeto petista

iG Minas Gerais | Raquel Gondim |

Encontro. Executiva Nacional do PMDB se reuniu com representantes de MG e SP ontem em Brasília
Wendel Lopes/PMDB/divulgação
Encontro. Executiva Nacional do PMDB se reuniu com representantes de MG e SP ontem em Brasília

Dividido sobre qual posicionamento adotar na disputa pelo governo de Minas, o PMDB no Estado chegou a um consenso em âmbito nacional. Representantes do diretório regional estiveram nessa quarta, em Brasília, com o vice presidente Michel Temer e formalizaram o apoio à sua continuidade na chapa da presidente Dilma Rousseff, que tentará se reeleger.  

O diretório de São Paulo também manifestou apoio à reedição da dobradinha. Minas é um dos Estados mais relevantes na definição de rumo do PMDB, uma vez que tem 41 votos na convenção nacional, marcada para o dia 14 de junho. Já os paulistas têm 15 votos.

O presidente estadual do partido, deputado federal Antônio Andrade, disse que mesmo os contrários à aliança com o PT, como o deputado federal Leonardo Quintão, declararam por escrito a manutenção da aliança.

“Estamos 100% com Dilma e Temer. Depois de discutirmos bastante, chegamos à conclusão de que a força e a unidade do PMDB estão na democracia. Entendemos que a melhor estratégia é a presença do Michel na chapa para vice-presidente. Acreditamos na eleição de Dilma”, afirmou Andrade.

Para Temer, a decisão dos dois diretórios é a sinalização de que a convenção nacional decidirá pela repetição da estratégia definida em 2010.

“O simples fato de Minas e de São Paulo já terem entregue a totalidade dos delegados é um indicativo, pelo por que eu tenho observado, de que os outros Estados virão para a convenção para apoiar a nossa chapa”, afirmou. Nos últimos meses, com o aprofundamento da crise entre petistas e peemedebistas, quadros do PMDB passaram a defender o apoio à candidatura do senador Aécio Neves (PSDB).

Para o deputado estadual Sávio Souza Cruz (PMDB), que esteve nessa quarta no encontro com Temer, é mais fácil para Minas defender a parceria com Dilma por “conhecer melhor a alternativa”, ou seja, o PSDB, que há 12 anos está à frente do Palácio Tiradentes.

Minas. O consenso, porém, parece distante quando o tema é a disputa pelo governo do Estado. Mesmo após o senador Clésio Andrade desistir da disputa para apoiar Fernando Pimentel (PT), uma ala da legenda irá divulgar nesta quinta um manifesto a favor da candidatura própria. Já outros setores do partido querem a aliança com Pimenta da Veiga (PSDB).

Um dos nomes à frente do manifesto, Zaire Rezende, não adiantou, porém, quais seriam as alternativas para encabeçar a chapa.

Sávio Souza Cruz ironizou a iniciativa. “Precisaríamos de um candidato, e hoje nós não temos. Manifesto a favor dessa tese até eu assino”.

Racha Alguns Estados em que a aliança do PT com o PMDB pode ser quebrada nas eleições de outubro: Minas Gerais O PMDB está dividido entre o apoio ao PT, a candidatura própria e o apoio ao PSDB. Rio de Janeiro O PMDB se divide entre a reeleição de Luiz Fernando Pezão (PMDB), o apoio a Lindbergh Farias (PT) e o apoio aos tucanos. Rio Grande do Sul O PMDB já sinalizou que não deve apoiar a reeleição do governador Tarso Genro (PT), mesmo se não lançar candidatura própria. Maranhão O PT está entre o apoio ao candidato da família Sarney (PMDB) e a aliança com Flávio Dino (PCdoB).

“Aliança no Ceará seria útil a Dilma” Brasília. No ato em que recebeu o apoio antecipado de dois diretórios estaduais do PMDB pela reedição da aliança com a presidente Dilma Rousseff, o vice-presidente Michel Temer defendeu que o PT apoie o senador Eunício Oliveira (PMDB) para o governo do Ceará. Temer disse que o apoio do PT “ajuda” e “seria muito útil” na consolidação da aliança nacional. “Eu acho que ajuda. O Eunício é um fortíssimo candidato, e o nosso objetivo é sempre procurar um palanque único. Se isso ocorresse, seria muito útil”.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave