Polícia apresenta suspeitos de roubo a carro de ex-prefeito

Os dois homens teriam rendido o motorista enquanto o carro estava estacionado e o levaram como refém até contagem; investigações apontam para um terceiro criminoso, ainda não identificado

iG Minas Gerais | DA REDAÇÃO |

Pneus atingidos pelas balas dos policiais durante a fuga de um dos criminosos
Divulgação / Polícia Civil
Pneus atingidos pelas balas dos policiais durante a fuga de um dos criminosos

A Polícia Civil apresentou nesta quarta-feira (14) dois suspeitos do roubo da caminhonete GM/Amarok, de Raimundo Nonato de Barcelos, ex-prefeito de São Gonçalo do Rio Abaixo, região central de Minas Gerais.

De acordo com o delegado Enrique Solla, da delegacia de são Joaquim de Bicas, na última quinta-feira (8) o ex-prefeito estava no escritório do advogado, no bairro Sion, região Centro-Sul de Belo Horizonte, quando, por volta de 12h, seu motorista foi rendido dentro do carro por Lucas Belexiano de Oliveira, 22, e Igor Junio Guedes de Melo, 19. Ainda segundo a Polícia Civil, os dois estavam armados, e levaram o motorista como refém até o bairro Amazonas, em Contagem.

Como o celular do motorista ficou dentro do carro, os policiais rastrearam o aparelho e localizaram o veículo, estacionado na avenida Doutor Antônio Chagas Diniz, na Cidade Industrial, também em Contagem.

Os dois suspeitos retornaram ao local às 19h em um outro veículo, um Honda/FIT, enquanto a Polícia Civil esperava para efetuar a prisão. Lucas foi preso já dentro da caminhonete e Igor tentou ainda fugir no Honda, disparando contra os policiais. Eles o perseguiram e atiraram nos pneus do carro, que parou 200 metros mais à frente. No caminho, Igor teria se livrado da arma, que ainda não foi apreendida. De acordo com as investigações da Polícia Civil, um terceiro indivíduo teria participado do crime, mas ainda não foi identificado.

Lucas tem passagens pela polícia por roubo e receptação de produtos roubados. Ele estava em prisão domiciliar, com uso de tornozeleira eletrônica, que foi monitorada, o que revelou seu trajeto no dia do crime, comprovando sua participação, segundo a Polícia. Já Igor não tinha passagem pela polícia.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave