Servidores da saúde de Minas Gerais anunciam greve a partir do dia 27

Decisão foi tomada nesta quarta (14), em assembleia na frente do Hospital João XXIII; principais reivindicações são redução da jornada de trabalho e revisão do plano de carreira

iG Minas Gerais | BERNARDO ALMEIDA |

Cerca de 30.000 funcionários da saúde deverão entrar em greve a partir do dia 27 de maio. A decisão foi informada pel Sindicato Único dos Trabalhadores de Saúde de Minas Gerais (Sind-Saúde/MG), após assembleia na manhã desta quarta-feira (14) na frente do Hospital João XXIII, na avenida Alfredo Balena, região hospitalar.

Depois da assembleia, os servidores fizeram uma passeata até a Praça Sete, e chegaram a fechar três faixas da avenida Afonso Pena, em direção à rodoviária. A manifestação foi encerrada às 12h.

Reivindicações

Entre as exigências do Sind-Saúde/MG, estão a revisão do plano de carreira, com mudança no tempo de promoção por escolaridade, e a redução da jornada de trabalho de 40 para 30 horas semanais, sem abatimento salarial.

Segundo o Sind-Saúde, somente na última sexta-feira (9) as negociações foram feitas diretamente com a Secretaria de Saúde do estado. Até então, as pautas eram analisadas no Comitê de negociação Sindical da Secretaria de Estado de Planejamento e Gestão (Seplag). Outra reclamação do sindicato é que e em reunião realizada no dia 26 de março, a subsecretária de planejamento do estado, Fernanda Neves, adiantou que a categoria provavelmente não terá reajuste salarial na data base, em outubro. O reajuste, que segundo o Sind-Saúde não ocorre desde 2012, ficaria a cargo da próxima administração, a partir do ano que vem.

A greve prometida deve afetar os trabalhos da Fundação Hospitalar do Estado de Minas Gerais (Fhemig), Fundação Ezequiel Dias (Funed), da Secretaria de Estado de Saúde, da Escola de Saúde Pública de Minas Gerais (ESP/MG) e da Fundação Hemominas. 

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave