Preces e fé contra time do papa

Na Europa, pároco mineiro corneta o torcedor mais famoso do San Lorenzo

iG Minas Gerais | Guilherme Guimarães |

Crença. Cruzeirense fanático, padre mineiro abençoou Mineirão para jogo de hoje contra o San Lorenzo
OAO GODINHO / O TEMPO
Crença. Cruzeirense fanático, padre mineiro abençoou Mineirão para jogo de hoje contra o San Lorenzo

Orações, preces, promessas e fé. Hoje não é dia santo, mas milhares de fiéis estrelados farão peregrinação até a Pampulha, onde depositarão toda sua confiança em uma vitória do Cruzeiro diante do San Lorenzo-ARG, às 22h, no Mineirão, pelo jogo de volta das quartas de final da Libertadores.

Na grande basílica do futebol mineiro, a Raposa precisará, no mínimo, de uma vitória por dois gols de diferença para avançar às semifinais da competição continental. Se depender da força espiritual e da crença de um torcedor em especial, o time celeste triunfará em cima da equipe de coração do papa Francisco.

Padre Lucas, 65, dedicou quase toda a sua vida à Igreja Católica e, mesmo assim, não deixa de lado outra paixão: o Cruzeiro. “Estive no Vaticano na última quarta-feira, conversei e brinquei muito com o papa. Não podia deixar de falar de futebol. E eu passei o meu recado, disse ao santo padre que o Cruzeiro vai dar o troco e vencer por 3 a 0”, disse o pároco mineiro, que voltou da Itália ontem.

No palco do encontro celestial entre Cruzeiro e San Lorenzo a convite de O TEMPO, padre Lucas abençoou o tapete verde do Gigante da Pampulha, pediu aos céus proteção aos atletas cinco estrelas e mostrou pequena preocupação quanto aos poderes divinos do pontífice em prol dos argentinos. “Francisco disse que o San Lorenzo vai ganhar, mas eu comentei com ele que alguém ainda mais celestial estava do lado do Cruzeiro: Jesus Cristo, que mora no céu, o maior espaço celeste do mundo”, profetizou. 

O encontro dessas duas forças religiosas aconteceu rapidamente, na praça São Pedro, no centro do Vaticano. E o santo padre ainda brincou sobre a rivalidade entre brasileiros e argentinos. “O papa brincou comigo, dizendo que havia feito o primeiro milagre dele. Que os povos, principalmente os brasileiros, começassem a gostar dos argentinos”, riu.

No tempo em que padre Lucas e papa Francisco estiveram juntos, o cruzeirense pediu bênçãos papais à agremiação estrelada. “Pedi que ele abençoasse o Cruzeiro, meu time do coração. Levei para ele uma camisa do clube, e o papa deu sua bênção”, comentou.

Padre Lucas, que viaja o mundo levando fiéis a cidades com histórias religiosas, acredita bastante na força da Raposa jogando em casa. “O Cruzeiro está abençoado pela maior entidade da Igreja. Fiz uma brincadeira com o papa e o convidei para assistir a uma eventual final da Libertadores em Belo Horizonte”, brincou.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave