Espaço será dividido com ônibus

Com o início da operação na Antônio Carlos, veículos convencionais sairão da faixa exclusiva para a mista

iG Minas Gerais | bernardo miranda |

Sofrimento. Motoristas de carro terão que dividir espaço com ônibus que antes circulavam em pista exclusiva para o transporte coletivo
João Miranda - 3.2.2013
Sofrimento. Motoristas de carro terão que dividir espaço com ônibus que antes circulavam em pista exclusiva para o transporte coletivo

Na primeira fase do Move (nome dado ao BRT da capital) no corredor Antônio Carlos, o sistema pode piorar o já complicado trânsito na avenida. Isso porque a partir do próximo sábado, as linhas convencionais, que hoje usam a pista exclusiva, passarão a usar a faixa mista, dividindo espaço com os demais veículos. Ao todo, serão 30 linhas nessa situação, o que representa 191 ônibus por hora a mais circulando no horário de pico. A promessa da Empresa de Transportes e Trânsito de Belo Horizonte (BHTrans), no entanto, é que o trânsito melhore com o fim da implantação do sistema, marcado para acontecer até o início da Copa, em 12 de junho.

Além dos motoristas, os usuários das linhas que ainda não serão integradas ao Move vão gastar mais tempo para chegar a seu destino. É o caso da estudante Fernanda Mendes, 18, que usa a linha 9502 para ir do bairro Floresta, na região Leste, até a UFMG, na Pampulha. “Com certeza vai ficar mais complicado. Quando o ônibus entra na Antônio Carlos, usa a pista exclusiva, e chego rápido ao destino. Agora, vou enfrentar os congestionamentos da pista mista”, reclamou.

Um das principais preocupações dos motoristas é o congestionamento no Complexo da Lagoinha, na chegada ao centro. A produtora cultural Ártemis Caldeira Brant, 28, faz o percurso do Santa Amélia, na Pampulha, até o centro e teme que a lentidão piore. “Sem esse tanto de ônibus, tem dia que ficamos quase uma hora para chegar ao centro. Imagina agora”.

O presidente da BHTrans, Ramon Victor Cesar, afirma que a medida é provisória e necessária para a adaptação das linhas ao Move. “Parte dessas 30 linhas será excluída, outras serão integradas ao Move e voltarão a usar a pista exclusiva. Esse processo será gradual, semana a semana. Podemos falar que será uma espécie de purgatório até que a melhora seja concluída”, avaliou. As linhas que serão integradas ao Move terão toda a frota renovada, com ônibus com portas tanto na direita quanto na esquerda para possibilitar o embarque nas estações de transferência.

A BHTrans não divulgou o calendário das próximas fases do Move nem exatamente quando todas as linhas convencionais voltarão a utilizar os corredores exclusivos. Porém, Cesar promete que até a Copa a integração estará concluída.

Para o diretor de Transporte Público da BHTrans, Daniel Marx, o impacto dos ônibus a mais na pista mista não será tão significativo, pois nem todos passam por todos os trechos da avenida. “Alguns desses ônibus que vão voltar para a pista mista têm como trajeto apenas alguns trechos da avenida Antônio Carlos e não influenciam o tráfego em toda a avenida”, disse.

Área central. Se no corredor da Antônio Carlos o número de ônibus na pista mista vai aumentar, na área central haverá uma redução de 82 ônibus por hora no local no horário de pico.

Esse é número de viagens que eram feitas pelas oito linhas que serão extintas e substituídas pelas linhas alimentadoras, que agora vão somente até a Estação Pampulha.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave