Presidente do TCU alerta sobre falhas de segurança na Copa

iG Minas Gerais |

TCU aponta mais gargalos na estrutura montada para a Copa de 2014
DOUGLAS MAGNO- 15,6.2013
TCU aponta mais gargalos na estrutura montada para a Copa de 2014

Para o presidente do Tribunal de Contas da União, João Augusto Nardes, a um mês do início da Copa do Mundo, o Brasil apresenta falhas na área de segurança, que podem prejudicar a imagem do país no exterior. A afirmação foi feita ontem baseada em estudos feitos pelo TCU e também pelos Tribunais de Conta dos Estados. Segundo os relatórios, 40% dos órgãos de segurança estaduais não têm um plano de segurança e 68% não trabalham em conjunto com outros Estados.

Durante a apresentação de um levantamento sobre a gestão da segurança pública no Brasil, o presidente do TCU disse que, apesar de alertas feitos pelo Tribunal, os governos estaduais e o federal não tomaram todas as medidas necessárias para superar os problemas relacionados à segurança durante a Copa.

“Fizemos diversas viagens em todo o Brasil e sentimos que algumas capitais não terão as obras de mobilidade. Há muitos canteiros de obras (expostos) que, por si só, causam preocupação, porque eles não estão adequados à estrutura da boa segurança para quem vai assistir a Copa do Mundo”, disse Nardes.

De acordo com o presidente do TCU, o tribunal alertou, há dois anos, sobre as providências que os governos deveriam tomar, mas, segundo ele, o alerta não foi suficiente.

“O TCU tem feito o seu papel no sentido de mostrar onde estão os gargalos, e esperamos que na reta final sejam tomadas as providências, especialmente na questão da segurança, porque qualquer tipo de crime que aconteça durante a Copa pode manchar todo um trabalho feito por todos os brasileiros”, frisou.

Outro lado. O ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo, porém, assegurou que o país está preparado para o Mundial. Ele rebateu as críticas e disse que o planejamento foi organizado de forma conjunta entre os ministérios da Justiça, da Defesa e as Secretarias de Segurança dos Estados-sede.

“Todo o planejamento para Copa passou por uma integração. Os investimentos em segurança dotaram as 12 cidades-sedes de centros de comando moderníssimos, utilizando instrumentos de alta tecnologia e eficácia”, disse Cardozo. União atualiza números da Copa SÃO PAULO. O governo federal resolveu divulgar os valores envolvidos na segunda Copa do Mundo no Brasil, ontem, a 30 dias do pontapé inicial. Foram investidos R$ 25,6 bilhões, com 83,6%, ou R$ 21,4 bilhões, de verbas públicas. Os grandes investimentos estão concentrados em obras viárias e transporte público (33,6%), estádios (27,7%) e aeroportos (26,5%). Com 2,5 milhões de ingressos vendidos para 64 partidas da Copa, o governo espera receber nada menos de 600 mil estrangeiros para acompanhar suas seleções pelas 12 sedes espalhadas pelo Brasil. 

Força Nacional no MT durante a Copa O ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo, autorizou o envio de policiais da Força Nacional de Segurança Pública (FNSP) para o Mato Grosso, durante a Copa do Mundo. Foi publicada ontem, no “Diário Oficial da União”, a portaria que acatou o pedido feito pelo governador do Estado, Sinval da Cunha Barbosa. A Força Nacional vai atuar em ações de preservação da ordem pública e na segurança das pessoas e de patrimônios, em casos de tumultos e quebra da ordem durante os jogos do campeonato. A operação terá apoio logístico e será supervisionada pelos órgãos de segurança do Estado. O objetivo é reforçar as ações da Secretaria de Segurança Pública do Mato Grosso, de 11 a 26 de junho, prazo que poderá ser prorrogado se necessário, conforme a portaria. Revista “Der Spiegel” detona Copa no Brasil: Morte e jogos A revista alemã “Der Spiegel” lançou no fim de semana uma reportagem sobre a Copa no Brasil. Já pela capa, que estampa o título “Morte e jogos” (“Tod Und Spiele”), fica claro que a avaliação não é das melhores. Em dez páginas, eles traçam o perfil do país, a um mês da Copa, com três pontos-chave. No primeiro, o semanário ironiza a paixão do brasileiro pelo futebol e a insatisfação generalizada com os custos do Mundial. “No país do futebol, a Copa do Mundo pode ser um fiasco: protestos, greves e tiroteios em vez de festa”, prevê. Em outro tópico, a reportagem relata o dilema dos estádios que se transformarão em “elefantes brancos”. “Nenhum país gastou tanto com a Copa. E quase tudo pago com dinheiro público”, destaca. Por último, a violência no Brasil foi analisada, dando destaque a uma entrevista com o escritor Luiz Ruffato, que fez um paralelo entre o local paradisíaco e o país violento. (Josias Pereira)  Abertura em detalhes Dados. A Fifa anunciou ontem, a um mês do início do campeonato mundial, alguns detalhes sobre a abertura da Copa do Mundo. A cerimônia está marcada para acontecer no dia 12 de junho, às 15h15, menos de duas horas antes da partida de estreia do torneio, entre as seleções do Brasil e da Croácia, no Itaquerão, em São Paulo. Mais de 600. De acordo com os organizadores, um show será realizado com a presença de mais de 600 bailarinos e terá cerca de 25 minutos de duração. Motivados. Diretora artística do show, a belga Daphné Cornez afirmou que a inspiração virá dos tesouros brasileiros: a natureza, as pessoas e o futebol. “É espetacular a emoção aqui, todos estão motivados. Às vezes tem o cansaço, o calor, mas todos mantêm o sorriso no rosto”, afirmou. Iluminada. O elemento central do evento será uma bola de LED, com mais de 90 mil clusters e 7.000 nits de luminosidade, que se movimentará no espetáculo. Diversidade. O elenco que se apresentará no Itaquerão também conta com ginastas acrobatas e de trampolim, capoeiristas e pernas de pau. Grand finale. A cerimônia será finalizada com a apresentação da música oficial da Copa do Mundo, "We Are One", interpretada pelos artistas Pitbull, Jennifer Lopez, Claudia Leitte e o grupo Olodum.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave