Pipas preocupam mais do que atraso nas obras da Cemig

Das 37 obras previstas, quatro não ficarão prontas, mas principal temor é com incidentes na rede

iG Minas Gerais | Queila Ariadne |

Realidade. 
Subestação no centro, que está sendo ampliada e vai ganhar outra unidade, que está atrasada e só ficará pronta em 2015
Arquivo Cemig / Divulgacao
Realidade. Subestação no centro, que está sendo ampliada e vai ganhar outra unidade, que está atrasada e só ficará pronta em 2015

Quatro das 37 obras que a Cemig planejou executar para a Copa do Mundo não ficarão prontas a tempo. Mas a maior preocupação não é com esse atraso, e sim com possíveis acidentes com veículos e com a temporada de pipas. O superintendente de Operação e Manutenção da Distribuição, Danilo Gusmão Araújo, explica que as intervenções que não ficarão prontas não afetarão em nada o abastecimento porque, na verdade, fazem parte do plano geral de investimentos até 2018 e só foram antecipadas para melhorar o atendimento na Copa.

“Estamos preparados e os investimentos feitos asseguram o abastecimento sem interrupção. O que mais preocupa são acidentes externos que possam danificar as redes, como abalroamentos de veículos e pipas”, afirma Araújo. Para prevenir, a Cemig reforçou em 50% a quantidade de técnicos a disposição para manutenções. “Normalmente são 800 homens e aumentamos para 1.200 no Estado. Também manteremos um helicóptero para inspeções aéreas”, afirma Araújo. No período da Copa, muitas escolas, públicas e privadas, estarão de férias e mais crianças devem brincar de pipa, o que coloca em risco, segundo a Cemig, a rede elétrica.

Ao todo, a Cemig investiu mais de R$ 500 milhões em ações de preparação para a Copa, modernizando os sistemas elétricos, construindo novas subestações de energia e disponibilizando fontes alternativas. Os focos de prioridade são o Mineirão (que terá duas linhas de transmissão exclusivas); o aeroporto de Confins (com três linhas exclusivas); os hospitais de pronto atendimento e a área da Fan Fest, que será no Expominas, na Gameleira.

Atraso. Segundo balanço da Aneel, das 158 obras definidas para a Copa do Mundo, 58 ainda estão pendentes. No caso da Cemig, são sete. Mas três delas serão entregues até o fim de maio, de acordo com Araújo. São três linhas de transmissão que ligarão a subestação de Sete Lagoas, na região Central, a Paraopeba, a Esmeraldas e a outra subestação, também em Sete Lagoas.

Já as quatro obras que não ficarão prontas a tempo da Copa no Mundo são no hipercentro de Belo Horizonte. Trata-se de uma segunda subestação, em um prédio onde já existe uma unidade, na avenida Afonso Pena, e mais três linhas de conexão. “Devem ficar prontas no ano que vem”, informa Araújo.

Por meio de nota, a Aneel afirma que as obras em atraso não são determinantes para a realização da Copa.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave