Paciente morre e família acusa Upa do São Benedito de erro médico

Homem deu entrada na Unidade na manhã desta segunda, com fortes dores no peito, e apresentou reações alérgicas após lhe aplicarem injeção

iG Minas Gerais | Gustavo Lameira |

Um homem morreu na tarde desta terça-feira (13), na Unidade de Pronto Atendimento (Upa) do bairro São Benedito, em Santa Luzia, na região metropolitana de Belo Horizonte. Para os familiares, a morte se deu por conta de um erro médico.

Conforme a Polícia Militar (PM), o homem de 43 anos deu entrada na Unidade na parte da manhã. O relato da filha da vítima ao cabo Geison Rodrigues da Silva, da 69ª companhia do 35º BPM, é que o pai sentia fortes dores no peito e pelo corpo.

Por volta das 14h, teria sido aplicada no paciente uma injeção, que desencadeou reações alérgicas. Os médicos, então, o levaram para a sala de emergências e, a partir daí, impediram seu contato com familiares, além de deixá-los sem notícias.

Às 17h, o médico voltou à recepção e comunicou que o paciente havia morrido e que a suspeita era de meningite.

A PM foi acionada e no local pediu informações à equipe médica depois de ouvir as acusações de erro médico por parte dos familiares. "Procurei o médico e perguntei se poderia ter acesso ao prontuário do homem, mas a chefia me informou que somente com um autorização judicial eles poderiam me passar o documento", contou o cabo Geison.

O gerente da Upa do bairro São Benedito, Saulo Torres, confirmou o atendimento e óbito do paciente no local. No entanto, ele não tinha conhecimento das causas. O nome do paciente também não pôde ser divulgado pela Unidade.

A reportagem de O TEMPO tentou contato com o assessoria da Prefeitura de Santa Luzia, mas o telefones não atenderam.

O corpo foi encaminhado para o Instituto Médico Legal (IML) de Belo Horizonte.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave