Parte das obras da Arena Pantanal é liberada após morte

Obras estavam paradas há dez dias, depois que um operário veio a óbito, vítima de uma descarga elétrica

iG Minas Gerais | AGÊNCIA ESTADO |

Inauguração será no dia 2 de abril, na partida entre Mixto e Santos, pela primeira fase da Copa do Brasil
Divulgação/Secopa
Inauguração será no dia 2 de abril, na partida entre Mixto e Santos, pela primeira fase da Copa do Brasil

O Ministério do Trabalho liberou parcialmente o retorno dos trabalhos de instalação dos equipamentos de tecnologia, informação e comunicação do setor leste da Arena Pantanal, que estava interditada desde o dia 10 depois da morte do operário Muhammad'Ali Maciel Afonso, de 32 anos, na quinta-feira passada. Ele morreu depois de receber uma descarga elétrica quando executava serviço de instalação de fiação elétrica naquele setor das arquibancadas.

Segundo a Etel Engenharia, as obras serão retomadas na Arena Pantanal "a partir de amanhã, quarta-feira, dia 14 de maio". Em nota, a empresa informou que a "Etel, que possui 37 anos, apresentou e cumpriu todas as documentações e exigências solicitadas". O retorno integral para finalizar o estádio da Copa do Mundo acontecerá quando a empresa apresentar "novos documentos solicitados pelo MT na tarde desta terça-feira". Isso acontecerá "nos próximos dias".

Ainda de acordo com a nota, "com a liberação, a Etel Engenharia cumprirá o cronograma de obras para a entrega total da Arena Pantanal". A empresa mais uma vez lamentou a morte do operário e garante que "está dando a assistência necessária a sua família, no que tange apoio psicológico e financeiro".

Apesar da liberação, as investigações continuarão. A Procuradoria do Trabalho em Mato Grosso instaurou inquérito civil para apurar a responsabilidade das empresas no caso. A Polícia Civil também abriu inquérito de investigação.

Peritos da Polícia Científica de Mato Grosso acreditam que o operário subiu a escada e removeu quatro placas do teto, formando um quadrante, e entrou num vão para fazer uma emenda num condutor elétrico para atender a outro circuito.

Segundo o perito criminal Rondon Souza Oliveira, o operário não vestia luvas. Em um dos eletrodutos, havia dois condutores com a ponta desencapada e com características de que teriam sido usados recentemente.

Ele informou que a vítima apresentava marcas de queimaduras por choque de corrente elétrica entre o dedo indicador e o médio da mão esquerda. Tudo indica que a causa da morte foi choque elétrico, mas Maciel apresentou corte na cabeça, originado "provavelmente ao bater contra o solo". O laudo deve sair em dez dias.

Leia tudo sobre: Copa do Mundoarena pantanalestadioobrasfutebol