Aécio e Campos criticam vídeos do PT sobre 'falsas promessas'

Após reunião da Executiva do PSB em Brasília, o ex-governador de Pernambuco afirmou que essa estratégia do PT pode acabar tirando a presidente do segundo turno

iG Minas Gerais | DA REDAÇÃO |

Chapa com senador mineiro na cabeça e pernambucano como vice é tida como ideal
Chapa com senador mineiro na cabeça e pernambucano como vice é tida como ideal

Os pré-candidatos à Presidência pelo PSB e PSDB, Eduardo Campos e Aécio Neves, criticaram nesta terça-feira (13) o vídeo do PT que cita "falsas promessas" e "fantasmas do passado", numa referência indireta aos prováveis adversários da presidente Dilma Rousseff nas eleições de outubro.

Campos disse que o partido prega o medo e começa a dar sinais de "desespero" na campanha da petista, enquanto Aécio afirmou que o PT apelou para "assustar a população" porque está com "medo" da derrota.

Após reunião da Executiva do PSB em Brasília, Campos afirmou que essa estratégia do PT pode acabar tirando Dilma do segundo turno.

"Vejo um certo tipo de desespero. Acho que aquilo vai ser um grande tiro no pé. Com esse tipo de campanha, os que acham que vão colocar medo, vão encorajar o povo a tirar a presidente Dilma inclusive do segundo turno", disse o ex-governador de Pernambuco.

Em nota, Aécio disse que o PT "não se envergonha de assustar e ameaçar a população para tentar se manter no poder". O partido adversário, segundo o tucano, espelha o "fracasso de um governo que, após 12 anos de mandato, só tem a oferecer medo e insegurança porque perdeu a capacidade de gerar confiança e esperança".

"Os brasileiros não merecem isso. É um ato de um governo que vive seus estertores", afirmou Aécio em nota divulgada pelo PSDB.

O PT divulga na noite de hoje comercial de televisão de um minuto no qual fala em "fantasmas do passado", ao mesmo tempo em que alerta contra "falsas promessas". "Não podemos deixar que os fantasmas do passado voltem e levem tudo o que conseguimos", diz o vídeo.

O vídeo do PT se assemelha à estratégia que o próprio partido foi alvo no passado, quando era oposição. Em 2002, o PSDB, então na presidência, usou discursou semelhante na campanha presidencial, contra o PT, ao falar do medo por mudanças.

"É uma atitude completamente equivocada do ponto de vista político e histórico. O mesmo discurso foi muito utilizado conta Lula e o PT no passado. Lamento que se parta para esse tipo de argumentação", afirmou Campos.

Com Folha Press

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave