Após assembleia, delegados definem que poderão entrar em greve geral

Reunião entre 170 delegados definiu medidas que poderão ser tomadas caso Governo do Estado não tome providências

iG Minas Gerais | JOSÉ VÍTOR CAMILO |

Categoria se reuniu e aprovou nova paralisação na próxima quarta-feira
Sindepominas/Divulgação
Categoria se reuniu e aprovou nova paralisação na próxima quarta-feira

Durante assembleia realizada na tarde desta terça-feira (13), o Sindicato dos Delegados de Polícia Civil do Estado de Minas Gerais (Sindepominas) definiu 21 medidas que poderão ser tomadas para pressionar o Governo de Minas Gerais. Caso a reunião marcada para a quinta-feira (15) não tenha um resultado positivo para a categoria, a categoria poderá inclusive entrar em greve geral.

Segundo o presidente do sindicato, Marco Antônio de Paula Assir, a assembleia reuniu 170 delegados. "Deliberamos sobre as paralisações pontuais que fizemos recentemente e decidimos novas medidas que poderão ser tomadas caso a resposta do Estado não seja positiva", afirmou o presidente. 

O teor destas medidas que poderão ser adotadas não foi revelado pelo presidente, pois, segundo ele, o governo poderia criar mecanismos para prejudicar o movimento. "Estamos em campanha salarial, pois temos muitas perdas acumuladas. Antigamente o cargo de delegado era invejado e, atualmente,o Defensor Público está ganhando quase três vezes mais que a nossa classe", defendeu Marco Antônio. 

A categoria se reunirá nesta quinta-feira com a secretária de Estado de Planejamento e Gestão, Renata Vilhena. "Caso as nossas reivindicações não sejam atendidas, poderemos chegar até a greve geral", alertou o presidente do sindicato. 

Paralisações 

A primeira paralisação dos delegados aconteceu no dia 23 de abril deste ano, quando eles cruzaram os braços por quatro horas. Em seguida foram feitas outras duas paralisações, uma do dia 30 de abril, de oito horas, e outra no dia 7 de maio, que durou 12 horas. 

Após isso, o sindicato alertou para uma paralisação de 24h, marcada para acontecer nesta quarta-feira (14), um dia antes do encontro com o Governo. A campanha leva o slogan "Em Minas Gerais, quem prende bandido recebe a metade do salário de quem solta".

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave