Atividade física regular e um drink de vez em quando previnem problema

Para médico oftalmologista, porém, é necessário ter cuidado com o consumo de álcool; ele recomenda a prática de atividades físicas ao ar livre para a saúde ocular

iG Minas Gerais | DA REDAÇÃO |

Através desse ritual antes e após os exercícios, o atleta reduz o risco de adquirir problemas como a tendinite
Através desse ritual antes e após os exercícios, o atleta reduz o risco de adquirir problemas como a tendinite

De acordo com a American Academy of Ophthalmology, problemas de visão referentes a doenças, traumas ou causas degenerativas que não são corrigidos com óculos ou lentes de contato aumentaram 70% nos últimos 15 anos. Pesquisa que vem sendo conduzida há mais de 20 anos dentro do projeto Beaver Dam Eye Study – coletando informações sobre problemas oculares relacionados ao envelhecimento da população – revela que, do ano 2000 até hoje, há quatro milhões a mais de pessoas com dificuldade para enxergar bem.

Depois de analisar cinco mil adultos entre 43 e 84 anos, a novidade é que os exercícios físicos contribuem muito para a saúde ocular. E tem mais: a ingestão ‘ocasional’ de bebidas alcoólicas reduz riscos de problemas de visão. Na opinião de Renato Neves, médico oftalmologista à frente do Eye Care Hospital de Olhos, em São Paulo, o estilo de vida da sociedade atual contribui para aumentar bastante a incidência de várias doenças.

“As pessoas, de modo geral, dormem pouco, comem mal, são sedentárias e estressadas. Essa combinação é uma bomba-relógio para a saúde, resultando no aumento de doenças do coração, câncer, doenças metabólicas (diabetes, hipotireoidismo), autoimunes, e, inclusive, doenças oculares. Quem quiser chegar bem à terceira e quarta idade precisa mudar urgentemente seus hábitos”. Ao ar livre Além de ser importante para controlar a pressão arterial e a circulação sanguínea, praticar caminhadas a passos rápidos e/ou exercícios físicos ao ar livre entre três e cinco vezes por semana contribui bastante para a saúde dos olhos.

“O sedentarismo está relacionado a várias doenças, mas quem se dedica apenas a atividades em ambientes fechados, como estudar, ler, usar o computador, jogar videogame, ver TV etc., acaba tendo mais predisposição à miopia. Aptos a enxergar só o que está próximo dos olhos, os míopes apresentam um alongamento do globo ocular que acaba por desalinhar a luz na retina. Ou seja, o ponto focal que deveria se formar na parte de trás da retina acaba se formando antes, fazendo com que a pessoa enxergue mal tudo o que está distante, como se houvesse um embaçamento. Daí, também, a importância de condicionar os olhos a enxergar o horizonte”, diz Neves. Ao lado do sedentarismo, o especialista combate igualmente o fumo e a ingestão de álcool em excesso. “O fumo compromete a circulação sanguínea da retina, reduz a quantidade de antioxidantes presentes no sangue e afeta a visão em qualquer fase da vida, principalmente depois dos 65 anos. Catarata, glaucoma e degeneração macular relacionada à idade (DMRI) – doenças que podem levar à cegueira – encontram no tabaco um dos piores fatores de risco”, explica.

E o álcool? “Com relação ao consumo de álcool, é possível identificar uma mancha permanente nos olhos de quem ingere bebidas alcoolicas frequentemente. Esse é, inclusive, um dos sinais físicos encontrados nos alcoólatras. Com o tempo, a pressão ocular elevada pode danificar o nervo óptico, resultando em glaucoma ou ainda na perda definitiva da visão. Daí a importância de saber interpretar com sabedoria estudos como o Beaver Dam Eye Study”, explica.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave