Coréia do Norte promete punir político sul-coreano

Porta-voz do Ministério da Defesa da Coreia do Sul, Kim Min-seok, havia afirmado que o vizinho "deveria desaparecer em breve"

iG Minas Gerais | DA REDAÇÃO |

A Coreia do Norte advertiu nesta terça-feira que um oficial sul-coreano pagaria o preço caro por dizer que o vizinho "deveria desaparecer em breve", mais um sinal da escalada da retórica entre os dois países.

O porta-voz do Ministério da Defesa da Coreia do Sul, Kim Min-seok, fez o comentário durante uma conversa com jornalistas nesta segunda-feira, quando disse que a Coreia do Norte não era uma país real e existia para o benefício de uma só pessoa - uma referência ao ditador Kim Jong Un. A autoridade disse ainda que os norte-coreanos não desfrutam de direitos humanos e liberdades políticas.

O site Uriminzokkiri, administrado pelo governo da Coreia do Norte, publicou um texto hoje dizendo que a fala de Kim Min-seok foi "uma grave provocação", e disse que o país está pronto para punir "impiedosamente" qualquer pessoa que difame seu líder e seu sistema.

"Não vamos cruzar os braços enquanto este cachorro louco se mantém latindo ruidosamente", disse o site. "Kim Min-seok deve pagar caro por suas observações impensadas."

A Coreia do Sul tem sido muito crítica sobre os programas de armas nucleares da Coreia do Norte. Mas os comentários de Seul nesta segunda-feira foram mais fortes do que o habitual. A Coreia do Sul tenta evitar publicamente falando sobre qualquer coisa que poderia ser interpretado como um colapso do governo norte-coreano por causa de preocupações de que Pyongyang poderia aumentar as tensões entre os países, divididos desde a década de 1950.

Por sua vez, Pyongyang incrementou sua retórica contra Seul e Washington desde Obama e se reuniram em Seul , no mês passado . Durante essa visita , disse que o presidente dos EUA, Barack Obama, e a presidente da Coreia do Sul, Park Geun-hye, se reunirem no mês passado e dizerem que pode ser a hora de considerar novas sanções contra a Coreia do Norte.  

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave