Dieta rica em fibras ajuda a proteger olhos no frio

Queda da temperatura potencializa alergia e outras inflamações oculares que podem ser mais graves este ano; saiba como reduzir o problema

iG Minas Gerais | DA REDAÇÃO |

TV O TEMPO/REPRODUÇÃO
undefined

Ao lado das vias respiratórias, os olhos são os órgãos que mais sofrem com a queda da temperatura. Isso porque, de acordo com o oftalmologista do Instituto Penido Burnier, de Campinas, no interior de SP, Leôncio Queiroz Neto, o tempo frio resseca a lágrima,  desencadeando  alergia ocular,  blefarite (inflamação da borda das pálpebras) e  meibomite, inflamação das glândulas que produzem a camada oleosa da lágrima.

O médico afirma que a expectativa para este outono/inverno é de alergias mais severas caso não sejam adotadas medidas preventivas. Isso porque, a estiagem atípica do último verão aumentou o número de diagnósticos em 20%. “O tempo frio e seco piora as inflamações das mucosas oculares”, destaca.

Dieta ajuda A boa notícia, observa, é que um estudo realizado na Suíça por pesquisadores da universidade de Lausanne mostra que a dieta rica em fibras pode diminuir a reação aos alérgenos. Embora a pesquisa tenha sido realizada com cobaias, o médico afirma que há evidências de que entre pessoas a redução dos processos inflamatórios se mantém. Quanto antes forem feitas alterações na dieta, ressalta, melhores são os efeitos preventivos.

Os alimentos que devem ser incluídos nas refeições para proteger os olhos dos efeitos do frio são:

- Cereais - soja, feijão carioca, grão de bico, ervilha e todos os grãos integrais. Isso porque, durante a digestão as fibras são transformadas em ácidos graxos que reduzem os processos inflamatórios característicos da alergia ocular, blefarite e meibomite;

- Semente de linhaça, sardinha e salmão  porque contêm ômega 3 que combatem o olho seco além de estarem associados ao menor risco de surgimento e progressão da catarata;

- Cenoura, abóbora, mamão e goiaba por serem ricos em vitamina A, essencial na prevenção do olho seco e da  conjuntivite recorrente, além de combater cegueira noturna e danos na retina.  Para melhorar a absorção, Queiroz Neto recomenda incluir na alimentação fontes de zinco como: frutos do mar, carne, ovos, tofu e gérmen de trigo;

- Tomate, vinho tinto, frutas cítricas, mirtilo, amora que por serem ricos em vitamina C melhoram a imunidade essencial para evitar as doenças das vias aéreas, além de conterem flavonoides, potentes antioxidantes capazes de proteger os olhos da catarata e degeneração macular.

Outras prevenções Queiroz Neto afirma que algumas atitudes associadas à dieta adequada melhoram a imunidade e garantem a prevenção da conjuntivite viral que também é bastante comum no frio.

As  7 atitudes preventivas elencadas pelo médico são:

1-   Evite compartilhar colírio, toalhas, fronhas e maquiagem;

2- Evite aglomerações em locais fechados onde pessoas contaminadas espalham vírus para outras;

3- Lave as mãos com frequência. A principal forma de transmissão da conjuntivite viral é pelo contato com objetos  tocados por alguém doente;

4- Não fique muito tempo sem comer. Isso aumenta a produção de cortisona e aumenta o risco de contrair doenças;

5- Beba bastante líquido. As mucosas, barreiras naturais do corpo, são formadas por água. Quando ressecadas, a proteção perde a eficácia;

6- Evite dietas agressivas. A perda rápida de peso prejudica a imunidade; e,

7- Durma bem. A falta de sono reduz a imunidade.

 

 

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave