Instalações espalhadas por toda a cidade

iG Minas Gerais | Josias pereira |

RENATO COBUCCI/IMPRENSA MG
undefined

Em 1950, a Copa do Mundo passou por Belo Horizonte, uma cidade ainda jovem, com pouco mais de 352 mil habitantes. O município ainda galgava o caminho do desenvolvimento, uma expansão urbana que já consolidava a capital mineira como uma das mais importantes metrópoles do país. Após 64 anos, o Mundial de futebol retorna ao Brasil e encontra uma Belo Horizonte completamente diferente.

Os bondes deram lugar aos ônibus, metrôs e carros. A população aumentou praticamente sete vezes. Os limites urbanos se expandiram, criando uma região metropolitana, e até mesmo o Independência, palco de três jogos da Copa de 1950, foi substituído pelo gigante Mineirão. O Mundial também não é mais o mesmo. Transformou-se em um megaevento, uma máquina que movimenta grandes montantes de dinheiro e milhões de profissionais e capta a atenção de uma audiência global.

Para abrigar um torneio como esse, a região metropolitana da capital mineira foi mapeada e dividida em locais que buscam facilitar o deslocamento de seleções, delegações, comitivas, turistas, torcedores e profissionais de imprensa, além da própria população local.

Confira abaixo  espaços que fazem parte do planejamento da Copa do Mundo em Belo Horizonte.

JN Resort. Localizado em uma fazenda na BR–040, a 5 km de Sete Lagoas, o JN Resort foi escolhido como o hotel da seleção uruguaia. O espaço possui, dentre outras facilidades, uma completa infraestrutura para realização de eventos e a tranquilidade de um ambiente rural. Sua proximidade com o aeroporto de Confins também foi um dos fatores preponderantes na opção feita pelos uruguaios.

Cidade do Galo. Um dos melhores e mais estruturados centros de treinamento do país, a Cidade do Galo, em Vespasiano (Grande BH), será o quartel-general da seleção argentina durante as atividades da Copa do Mundo. Os bicampeões mundiais contarão com uma vasta gama de serviços, facilidades, instalações de padrão internacional, além de um hotel para focarem sua busca por mais um título.

Toca da Raposa 2. Considerado um dos mais modernos e bem-estruturados centros de treinamento do país, a Toca da Raposa 2 foi escolhida como a casa da seleção chilena durante a Copa do Mundo do Brasil. No local, apontado como referência para vários clubes ao redor do mundo, estão previstas as principais atividades técnicas e físicas da equipe do Chile, além da acomodação dos atletas e de toda a comissão técnica.

Ouro Minas. O hotel mais luxuoso de Belo Horizonte irá receber as seleções do lado A dos confrontos (no duelo Colômbia (A) x Grécia (B), por exemplo, hospeda os colombianos). O Caeser Business é o hotel do time B. Mesmo concentrados em outros hotéis pelo país, as seleções devem obrigatoriamente passar por um hotel Fifa dois dias antes do jogo.

Independência. Em 1950, ele foi o palco principal da Copa em BH. Para o Mundial de 2014, ele retorna com uma nova função. O Independência vai atuar como Campo Oficial de Treinamento (COT) das seleções que jogarão na capital mineira. Reinaugurado em 2012 após uma revitalização no valor de R$ 149 milhões, somente no ano passado o estádio do Horto recebeu 59 partidas e 509.329 pessoas.

Arena do Jacaré. Localizada em Sete Lagoas, foi a casa dos times mineiros durante a reforma do Mineirão. A Arena do Jacaré será o campo de treinamento da seleção do Uruguai em sua preparação para o Mundial. O estádio, com capacidade para 20 mil pessoas, vem recebendo um tratamento especial nos últimos meses, tudo para recepcionar bem seus ilustres hóspedes.

Expominas. Será o palco da Fan Fest da Fifa. No cronograma de ações da Copa do Mundo, a organização estima um público de 21 mil pessoas, que terá à disposição linhas de ônibus e integração com o metrô facilitadas, estacionamento, shows, atrações nacionais e a transmissão de todos os jogos do Mundial ao vivo.

Mineirão. A emoção da Copa do Mundo em Belo Horizonte passará pelo gramado do Mineirão. Serão seis jogos, entre eles uma semifinal. Segundo estádio a ficar pronto para o Mundial, o Gigante da Pampulha possui capacidade para mais de 60 mil torcedores. Somente no ano passado, a arena recebeu 1,2 milhão de pessoas.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave