Apolo diz que candidatura de Delgado ‘soa falsa’

Ambientalista acusa cúpula do PSB de tentar minar seu nome

iG Minas Gerais | Lucas Pavanelli |

Pimenta ainda vai escolher coordenador do projeto de governo
DANIEL PROTZNER / O TEMPO
Pimenta ainda vai escolher coordenador do projeto de governo

Em resposta aos dirigentes do PSB que querem lançar o nome do presidente estadual da legenda, Júlio Delgado, ao governo de Minas, o até então único pré-candidato à disputa, Apolo Heringer (PSB), afirma que seu nome é “o legítimo” dentro do partido. O ambientalista ligado à Rede Sustentabilidade – partido idealizado pela ex-senadora Marina Silva e que está abrigado no PSB – tenta evitar uma movimentação interna para minar sua candidatura.

“Quando houve a aliança PSB/Rede, foi definido que haveria uma alternativa qualitativa ao jogo político. Eu represento isso. Se o Júlio Delgado ou qualquer outra pessoa aparecer, vai soar como falso”, dispara. Uma eventual candidatura de Delgado ao governo de Minas ganhou força nos últimos dias com o apoio de dirigentes do PSB ao projeto da candidatura própria, em vez de apoiar a chapa encabeçada por Pimenta da Veiga (PSDB).

O deputado tem o apoio de caciques nacionais do PSB, como o vice-presidente nacional da sigla, Roberto Amaral, que se manifestou sobre a possibilidade neste fim de semana. “(Júlio Delgado) é um ótimo nome porque é bem votado”, analisou.

Também pesa a favor de Delgado o cargo que ocupa. Como presidente do PSB em Minas, ele exerce influência sobre boa parte dos dirigentes do partido no interior. Delgado não descartou a possibilidade de assumir o palanque pessebista no Estado. “Nunca trabalhei para que isso chegasse a esse momento, mas nunca abandonei uma briga”, rebate. Um enfrentamento entre Apolo e Delgado na convenção municipal, no entanto, é descartado. O partido deve chegar ao final de junho com um nome posto.

Adiado. A indefinição entre Rede e PSB sobre as alianças nos Estados – principalmente Minas, São Paulo e Pernambuco – levou o partido a reavaliar a data de sua convenção nacional. Agendado para 10 de junho, antes do início da Copa, o evento que vai oficializar a chapa formada por Eduardo Campos e Marina Silva vai ser adiado para o dia 28. A executiva nacional da legenda se reúne nesta terça para oficializar a nova data.

Maria da Consolação desiste de vaga ao governo O PSOL lançou, no último fim de semana, a pré-candidatura do ativista Fidélis Alcântara ao governo de Minas. Inicialmente, a expectativa era de que o partido apostasse na professora Maria da Consolação, que se candidatou à Prefeitura de Belo Horizonte em 2012. Conforme o presidente da legenda no Estado, Carlos Sampaio, Consolação irá concorrer a uma vaga na Câmara dos Deputados. O objetivo do PSOL é que ela atue como puxadora de votos para outros candidatos da sigla. Com a decisão, o PSOL terá que reiniciar as negociações com a frente de esquerda formada também pelo PSTU e pelo PCB. Segundo Sampaio, havia um consenso da frente em torno do nome de Maria da Consolação, e a troca exigirá novas conversas. Agora pré-candidato, Alcântara diz que pretende unir a frente em torno do seu nome e que, durante a campanha, irá defender a “radicalização da democracia”. (Raquel Gondim)

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave