Sapateiro promete levar shopping de BH à Justiça por sofrer humilhação

Vítima comprou TV de 50 polegadas e, mesmo com a nota fiscal, foi barrada na saída do centro de compras; segundo o homem, a aparência filho teria motivado o preconceito

iG Minas Gerais | Carolina Caetano/Gustavo Lameira |

Um sapateiro passou por constrangimentos no centro de compras Minas Shopping, no bairro União, região Nordeste de Belo Horizonte. O homem de 52 anos, que preferiu não ser identificado, comprou uma TV de 50 polegadas em uma loja de eletrodomésticos na última quinta (8), e voltou ao centro de compras na sexta (9), dessa vez com o filho, para buscar o aparelho.

O sapateiro acredita que tenha sido vítima de preconceito pelo fato de o filho ter tatuagens, usar brincos e cabelo amarelo.

Na saída, eles foram parados pela segurança e, mesmo com a nota fiscal em mãos, tiveram que aguardar até que a chefia do setor comparecesse ao local. "Deixamos uma TV de 60 polegadas passar, e isso deu muitos problemas pra gente", teriam dito os funcionários aos clientes do shopping. O homem voltou à loja , e teve confirmação do gerente de que não poderia ser barrado, por estar com o documento que atestava a compra.

Já os seguranças, disseram que só pararam o cliente porque ele arrastava a caixa da TV. "Se eu tivesse de terno e gravata, talvez não seria abordado. Sempre achei que pobre não pode frequentar shopping. Foi uma vergonha. Todo mundo ficou olhando", contou o sapateiro.

Um boletim de ocorrência foi registrado, e o homem pretende procurar a Justiça. No entanto, à Polícia Militar, a vítima contou que foi abordada por arrastar a caixa, sem citar qualquer referência a preconceito.

Minas Shopping

Por meio de nota, nesta segunda-feira (12), o Minas Shopping disse que um dos integrantes da equipe de segurança abordou o cliente, apenas, no intuito de orientá-lo sobre a forma de transporte da TV, zelando para que o produto adquirido não fosse danificado.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave