Vivo-Minas perde Marcelinho e Maurício para a próxima temporada

Enquanto levantador vai para o Sesi-SP, ponteiro terá sua primeira experiência internacional na carreira

iG Minas Gerais | DANIEL OTTONI |

Marcelinho agradeceu pelos bons momentos vividos no Minas
DIVULGAÇÃO - CBV
Marcelinho agradeceu pelos bons momentos vividos no Minas

O Vivo-Minas perderá duas importantes peças do time titular para a próxima temporada. O levantador Marcelinho e o ponta Maurício Borges estão de saída da equipe de Belo Horizonte, que terminou a última Superliga na quarta posição.

Enquanto o armador vai para o Sesi-SP, o ponteiro terá sua primeira experiência internacional no Fakel, da Rússia. A proposta recebida por Maurício, que está inscrito pela seleção brasileira para a disputa da Liga Mundial, foi vantajosa em termos financeiros, bem acima do padrão brasileiro. O atleta defendeu o Minas por apenas uma temporada, ao contrário de Marcelinho, que se despede após três anos.

"Desde que cheguei ao clube, em 2011, sempre fui tratado com carinho por todos. O clube me abriu as portas e fico feliz por estar saindo com as portas abertas. Fiz amigos e vou levar as melhores lembranças", garante o experiente jogador de 39 anos.

Mesmo sem conquistar tudo o que queria, Marcelinho garante que viveu no clube alguns dos momentos mais importantes de sua longa carreira.

"Tive três temporadas muito boas, chegamos às semifinais da Superliga jogando de igual para igual com todos, derrotados por aqueles que acabaram campeões. Fomos, ainda, vice-campeões sul-americanos", lembra o jogador, que fez questão de enaltecer a estrutura do clube e o apoio da torcida em todos os momentos.

A expectativa para integrar o time paulista é grande. Por lá, Marcelinho permanecerá em um time de grandes pretensões, ao lado de nomes de relevância do vôlei nacional.

"O Sesi tem um grupo fortíssimo, é uma equipe que conta com jogadores de alto nível. É um time que entra na próxima temporada para brigar por títulos. Vou reencontrar alguns amigos de seleção e esse vai ser mais um grande desafio na minha carreira", projeta.

A chegada de Marcelinho no Sesi-SP fará Sandro buscar novos ares. O levantador tem propostas de fora, mas existe, ainda, a possibilidade de acerto com algum time brasileiro. O Brasil Kirin seria o time com mais possibilidades de contar com o jogador.

Dúvida financeira motivou saída

A ida de Marcelinho para o atual vice-campeão da Superliga foi influenciada pela indefinição do acerto entre o Minas e a Vivo, equipe responsável por boa parte dos investimentos. "Ele aguardou um tempo relativamente longo para saber o desfecho da situação. Isso pode ter pesado, de alguma forma. Depois de esperar, ele teve uma reunião com a diretoria, que lhe passou a atual situação", comenta José Ricardo, supervisor do time.

Marcelinho confirma o contato que teve com os gestores do clube nos últimos dias.

"Conversei com o o diretor Elói Oliveira e ele me explicou o momento que o Minas atravessa. Torço para que encontrem novos parceiros, empresas que invistam no clube que faz um dos melhores trabalhos de desenvolvimento do esporte no país", salienta o jogador.

Futuro indefinido

Com as saídas dos dois jogadores, a torcida do Minas começa a ficar apreensiva sobre o que aguarda o time na próxima temporada. As negociações entre a empresa de telefonia e o clube permanecem e, nos próximos dias, novidades poderão aparecer.

"Já estamos em contato com alguns jogadores, outros foram oferecidos e estamos avaliando. Temos boas opções, também, entre os juvenis. Acho que vai ser difícil manter o mesmo nível de time da última temporada, mas temos que esperar o fim das conversas para saber qual vai ser a realidade do Minas", indica José Ricardo.