Pressão para Serra ser o vice

Parte dos tucanos quer o ex-governador de São Paulo na chapa do PSDB que disputa a Presidência

iG Minas Gerais | Flávia Carneiro |


Aécio Neves e José Serra podem formar uma chapa puro-sangue
FOTOS GUSTAVO ANDRADE / O TEMPO
Aécio Neves e José Serra podem formar uma chapa puro-sangue

O pré-candidato tucano à Presidência da República, senador Aécio Neves, tem dois caminhos prováveis a seguir nos próximos meses, na corrida presidencial. Aécio Neves (PSDB) pode formar uma chapa puro sangue ou tentar ampliar a aliança com um partido da base de apoio da presidente Dilma Rousseff (PT). Mas, na semana passada, tucanos intensificaram as pressões para lançar o ex-governador de São Paulo José Serra como vice de Aécio Neves.

Alguns políticos acreditam que a chapa formada por Serra e Aécio seria capaz de alavancar votos para o mineiro no Estado de São Paulo e no Sul do país, onde Serra é mais conhecido do que Aécio e tem prestígio.

“Ainda é cedo para essa definição, que deve acontecer apenas em junho”, disse o secretário de governo de Minas, Danilo de Castro (PSDB-MG). Ele afirmou que acredita em uma chapa puro sangue, mas não descarta a possibilidade de aliança com outro partido.

“Se a presidente Dilma Rousseff continuar caindo nas pesquisas eleitorais, acredito que algum partido da base aliada do governo passe a integrar a chapa do PSDB, principalmente o PP”, disse Danilo de Castro. Ele comentou também que, se de um lado Serra tem rejeição, de outro é um nome conhecido nacionalmente. “Uma coisa acaba compensando a outra”.

Apesar de Aécio e Serra terem se encontrado na semana passada em um jantar oferecido pelo ex-prefeito de São Paulo Gilberto Kassab (PSD) e, depois disso, novamente, em Uberaba, durante a Expozebu, uma conversa entre os dois sobre a formação da chapa ainda não aconteceu.

Nos últimos dois meses, muitas especulações surgiram sobre quem seria o vice na chapa. Os nomes de duas mulheres foram considerados fortes. A deputada federal Mara Gabrilli (PSDB-SP) e a senadora Ana Amélia de Lemos (PP-RS) foram apontadas como as que mais poderiam agregar à campanha de Aécio.

Dois motivos tornam as parlamentares nomes fortes para a disputa. No caso da tucana Mara Gabrilli, ela ganha pontos por ser de São Paulo, Estado apontado pelo PSDB como primordial para uma vitória nas urnas. Além disso, ela poderia atrair os votos das mulheres dos portadores de necessidades especiais.

Ana Amélia, por sua vez, poderia ser usada como uma “arma política”. Por ser do PP, oferecer a vaga de vice ao partido tiraria a sigla da base da presidente Dilma, hipótese reforçada pelo governador de Minas, Alberto Pinto Coelho (PP).

Data

Prazo. A definição de quem será o vice na chapa tucana à Presidência da Republica só deve acontecer no início de junho, poucos dias antes da convenção nacional do partido. 

Twitter Menções. Dilma Rousseff (PT), Aécio Neves (PSDB) e Eduardo Campos (PSB) têm um número maior de menções negativas do que positivas no Twitter. A análise foi feita a pedido do jornal “O Globo” por técnicos da consultoria Llorente & Cuenca. Críticas. Foram avaliadas mil citações feitas em março e abril. As críticas mais comuns são relacionadas à questão ética. Pontos. Os escândalos envolvendo a Petrobras potencializaram as menções contrárias a Dilma. Já Aécio sofre com ataques sobre sua vida pessoal, enquanto Campos ficou desgastada por conta da saída do governo de Pernambuco e por uma eventual “traição” a Lula.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave