Defesa Civil garante que não há risco de prédios de Ipanema desabarem

Moradores se assustaram após duas crateras na região onde estão sendo feitas obras do metrô

iG Minas Gerais | DA REDAÇÃO |

Após moradores se desesperarem com a abertura de duas crateras em Ipanema, na Zona Sul do Rio de Janeiro, o subsecretário municipal de Defesa Civil, Márcio Motta, garantiu que os prédios da Rua Barão da Torre, no trecho entre as ruas Teixeira de Melo e Farme de Amoedo, não sofrem risco de desabamento. “Nenhum risco. Não há nenhuma anomalia estrutural”, disse, neste domingo (11) após fazer uma vistoria no local.

Na manhã deste domingo moradores de Ipanema se assustaram com a abertura de duas crateras na região, onde estão sendo feitas obras da Linha 4 Sul do metrô. Motta confirmou que a concessionária responsável pelas obras entre os bairros de Ipanema e da Gávea, na zona oeste, está utilizando no local o equipamento chamado de "tatuzão", usado para a escavação no subsolo, dado o caráter arenoso do terreno.

Segundo ele, o equipamento começou a ser utilizado depois de análises. “Isso é muito tecnicamente estudado", afirmou, ressaltando que "Houve um problema, para, não escava mais nada. Conserta e vamos ver o que está acontecendo, para que continue o trabalho. É importante ter o Metrô, mas que não cause transtorno para as pessoas”, alegou.

O subsecretário informou que a obra de escavação foi interrompida pelo consórcio, em uma intervenção emergencial que visa a cobrir com concreto os buracos que surgiram durante os trabalhos da madrugada deste domingo (11). Dois engenheiros e três técnicos da Defesa Civil do município fiscalizaram todos os prédios próximos, verificando a estrutura interna, as colunas e as condições de subsolo, bem como das garagens das construções.

Depois de vistoriar as obras, o subsecretário seguiu para a reunião que a equipe de projetistas do consórcio estava realizando para analisar as causas do afundamento.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave