De virada, Atlético vence o Cruzeiro em clássico recheado de polêmicas

Gols da vitória alvinegra foram marcados no segundo tempo; Marion empatou e André, de pênalti, fez o tento que assegurou o triunfo

iG Minas Gerais | THIAGO NOGUEIRA |

Esportes - Belo Horizonte - MG
Jogo entre Atletico Mineiro e Cruzeiro valido pela quarta rodada do campeonato brasileiro serie A 2014 na Arena Independencia

FOTO: FERNANDA CARVALHO / O TEMPO 11.5.2014
FERNANDA CARVALHO / O TEMPO
Esportes - Belo Horizonte - MG Jogo entre Atletico Mineiro e Cruzeiro valido pela quarta rodada do campeonato brasileiro serie A 2014 na Arena Independencia FOTO: FERNANDA CARVALHO / O TEMPO 11.5.2014

Em clássico marcado pela polêmica arbitragem arbitragem de Héber Roberto Lopes e da assistente-modelo Fernanda Uliana, o Atlético venceu o time B do Cruzeiro, de virada, por 2 a 1, neste domingo, conquistado sua primeira vitória no Campeonato Brasileiro.

Desde o começo, a briga por cada lance mostravam que não seria mais um jogo morno como os três últimos 0 a 0. Com a torcida do seu lado, o Galo teve mais iniciativa durante a partida.O time B do Cruzeiro se mostrava bem entrosado, principalmente por conta dos últimos jogos atuando juntos.

Com o esquema 3-5-2, os laterais alvinegros Emerson da Conceição e Alex Silva tiveram mais liberdade para apoiar. O segundo chegou a deixar Fernandinho debaixo das traves para marcar, mas o atacante concluiu por cima.

Titular do comando de ataque celeste no lugar do cortado Borges, Marcelo Moreno tentava vencer a defensiva alvinegra na força. De cabeça, ele quase marcou. Mas, dois minutos depois, ele apareceria com o faro de centroavante para apenas empurrar para as redes após rebote de Victor.

Eram mais de 300 minutos sem gols em um clássico. O último, havia sido marcado por Fernandinho, na vitória alvinegra em 13 de outubro do ano passado, por 1 a 0.

Ao Atlético, restou correr atrás do prejuízo e perdeu boas chances de empatar com Tardelli ainda no primeiro tempo. Para a segunda etapa, Carlos e Marion foram as doses de juventude pensada por Levir, que desmanchou o esquema de três zagueiros tirando Edcarlos. Tardelli se machucou.

Com os garotos, o Galo melhorou na movimentação e logo achou o gol de empate com Marion. O alvinegro continou pressionando e a Raposa, que montou-se no contra-ataque. Em lance na área alvinegra, Luan preferiu desistir do lance para pedir toque de mão de Otamendi não marcado.

Do outro lado, a história foi diferente. O árbitro Héber Roberto Lopes viu o puxão de Léo em Leonardo Silva. Penalti marcado e convertido por André. O Cruzeiro tinha tempo e tentou a reação, brecada um pouco pela expulsão de Luan que deixou o braço em Leandro Donizete. No fim, um erro infantil de impedimento do ataque celeste marcado pela assistente Fernanda Uliana levou todo o time azul à loucura. Otamendi ainda salvaria uma bola em cima da linha.

Leia tudo sobre: futebol nacionalatléticogalocampeonato brasileiroclássicocruzeiroraposa