A voz Celeste

iG Minas Gerais |

Quem falou que estamos ligados na decisão de quarta-feira, contra o San Lorenzo? Jogar contra o maior rival é um duelo que nunca queremos perder. Mesmo com o pensamento na Libertadores, não menosprezamos o Brasileiro. O torcedor tem sede de título, e com a fase do maior de Minas, ficamos na obsessão do Brasileiro e da Libertadores. Já sabemos que Marcelo Oliveira vai poupar vários jogadores. Mas o nosso time reserva é muito bom. Não levem a mal, mas o Marcelo Moreno, que entrou várias vezes e deu conta do recado, fazendo gols importantes e dando a vitória ao maior de Minas, merece uma chance no lugar de Borges. E Julio Baptista não está jogando nada. Ou melhor, desde que chegou ao Cruzeiro, nunca fez jus ao seu alto salário. A vitória em cima do maior rival hoje dá moral para a decisão contra o San Lorenzo. Dai dar Cruzeiro ! Eu não confio, e sim tenho certeza !

A voz da Massa

Saudações alvinegras! Um clássico tem, entre outras feições, o poder de consagrar ou derrubar jogadores, fazer surgir ídolos e até reabilitar uma equipe em má fase. Esse último é, infelizmente, o nosso caso. Lembro-me de uma vez, quando eu atuava pelo Galo, na qual o nosso time passava por uma situação semelhante à de agora. O Galo vinha de três derrotas nas três primeiras rodadas do Brasileirão e tínhamos pela frente o nosso arquirrival a enfrentar. Para não contar muita história, vou resumir: nós vencemos aquele jogo, ficamos reabilitados na competição e o resultado nos deu mais ânimo, aumentando bastante nossa confiança. Daí para frente, fizemos uma boa campanha no Brasileirão. Eu espero que isso aconteça outra vez hoje. E a Massa também anseia por uma vitória, que dê uma guinada no Galo na competição. Time pra isso, nós temos. Vai pra cima deles, Galo!  

Avacoelhada O Coelhãozinho é o único invicto com nove vitórias e um empate no Mineiro sub-20. Independentemente do alto índice de aproveitamento, sempre é bom destacar que o principal objetivo das categorias de base é potencializar os atletas em formação. Ainda assim, existe a necessidade de os pratas da casa serem aprimorados no profissional. A fim de evitar a letargia no estágio de transição, o processo de desenvolvimento físico, tático e técnico dos mais promissores deveria ser acelerado. Bruno, Anderson, China, Júnior Lemos, Ygor e Kaio são alguns campeões brasileiros mal aproveitados na equipe principal. E ainda João Vitor, Luis Felipe, Vitinho e Assis, que são de outra geração. Aliás, em termos de revelação, Tabata, campeão sub-17 pelo Atlético, passou pelo América. Além de Fred, Matheus e Danilo deveriam ter sido convocados por Felipão.

 

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave