Polícia prende mais 2 suspeitos de envolvimento em morte de Malhães

Uewerton Pires de Araujo, sobrinho do caseiro Rogerio Pires, trabalhava para o tenente-coronel e é tido como cúmplice na morte do militar.

iG Minas Gerais | Da Redação |

O corpo apresentava marcas de asfixia, segundo a Polícia Civil
Reprodução/Comissão da Verdade
O corpo apresentava marcas de asfixia, segundo a Polícia Civil

A Polícia Civil do Rio prendeu neste sábado (10) Uewerton Pires de Araujo, 22, sobrinho do caseiro Rogerio Pires, que trabalhava para o tenente-coronel reformado Paulo Malhães e é tido como cúmplice na morte do militar.

Junto com Uewerton, a polícia prendeu também o cunhado do rapaz. De acordo com relatos de vizinhos de Pires, o segundo suspeito preso neste sábado (10) se chama Uelisson.

Os investigadores informaram à família de Pires que os dois detidos estiveram na cena do crime. Eles foram levados para a Delegacia de Homicídios de Belford Roxo para averiguação.

Fabiana Pires, mãe de Uewerton e irmã do caseiro, afirma que o filho nada tem a ver com o caso, mas não soube informar se poderá provar a inocência dele.

No dia 25 de abril, Malhães foi encontrado morto com sinais de asfixia, num dos cômodos de seu sítio, em Nova Iguaçu (RJ). Na ação dos criminosos, a mulher do militar e o próprio caseiro foram amarrados em quartos distintos, após a invasão da casa durante um assalto.

O coronel reformado havia prestado, um mês antes, depoimento à Comissão da Verdade no qual reconhecia ter participado de torturas, mortes e ocultação de corpos de vítimas da ditadura militar (1964-1985). Membros de comissões da Verdade nacional e do Rio suspeitaram de "queima de arquivo".

Leia tudo sobre: malhaesassassinatoditadura