Nishikori elimina Ferrer e encara Nadal na decisão

O tenista japonês frustrou a torcida local e evitou uma final entre dois tenistas da Espanha no Masters 1000 de Madri.

iG Minas Gerais | AGÊNCIA ESTADO |

Nishikori ocupa hoje a 12ª posição do ranking, mas já somou pontos suficientes em Madri para virar o número 10
Kei Nishikori oficial facebook/divulgação
Nishikori ocupa hoje a 12ª posição do ranking, mas já somou pontos suficientes em Madri para virar o número 10

Após eliminar o espanhol David Ferrer na semifinal deste sábado, Kei Nishiori garantiu vaga na decisão do torneio, quando enfrentará neste domingo o também espanhol Rafael Nadal, que derrotou outro representante da casa, Roberto Bautista Agut, um pouco mais cedo.

Embalado pela conquista do título do Torneio de Barcelona, também disputado em quadras de saibro, no final de abril, Nishikori ocupa hoje a 12ª posição do ranking, mas já somou pontos suficientes em Madri para virar o número 10 do mundo na próxima atualização da lista, a ser feita nesta segunda-feira. Assim, se tornará o primeiro japonês da história a entrar no Top 10.

Com 24 anos, Nishikori tem cinco títulos na carreira, sendo dois nesta temporada (Barcelona e Memphis). Na final deste domingo, ele terá pela frente o supercampeão Nadal, que, aos 27 anos, já levantou 62 troféus na carreira, incluindo três de Madri (2005, 2010 e 2013). No histórico do confronto, o espanhol venceu o japonês nos seis jogos disputados entre eles.

Antes de encarar Nadal, porém, Nishikori enfrentou uma verdadeira batalha neste sábado para superar o número 5 do mundo contra quem tinha três vitórias e três derrotas no histórico do duelo. Diante de Ferrer, ele precisou de 2 horas e 55 minutos para ganhar por 2 sets a 1, com parciais de 7/6 (7/5), 5/7 e 6/3 chegando a desperdiçar nove match points antes de fechar a partida.

O japonês chegou a pedir atendimento médico durante o jogo deste sábado, mas aguentou bem até o final. No segundo set, ele teve a chance de fechar a vitória, mas permitiu a reação de Ferrer. Depois, também teve trabalho na terceira parcial. No último game, por exemplo, Nishikori precisou de mais de 16 minutos para ganhar. Agora, o desafio promete ser ainda maior, diante do número 1 do mundo.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave