Jovens do Sada valorizam experiência de atuar como boleiros em Mundial

Atletas das categorias de base do clube também participaram do ensaio da cerimônia de premiação

iG Minas Gerais | Diego Costa |

Os jogadores mais novos comemoram possibilidade de participar da competição internacional
RONALDO SILVEIRA
Os jogadores mais novos comemoram possibilidade de participar da competição internacional

Nem só de craques renomados se faz uma grande competição. No Mundial de Clubes de vôlei masculino uma turma bastante promissora atua como boleiros durante as partidas do torneio. São jogadores das categorias de base do Sada Cruzeiro. E para os jovens atletas ter a experiência de já vivenciar o clima de uma competição em nível internacional é algo singular na carreira de cada um. 

Aos 17 anos, o líbero da equipe infanto-juvenil do Sada, Mateus Nascimento, conta como está sendo participar do Mundial de Clubes. 

"É uma grande oportunidade. Estar tão perto dos melhores jogadores do mundo. Para mim é especial. Além disso também estou com meus colegas de clube, a gente pode se divertir. O convívio que estamos tendo aqui é muito importante para nós", destacou o jovem atleta. 

Filho do técnico Marcelo Mendez, o ponteiro Juan Mendez também comemorou a possibilidade de estar tão perto de craques voleibol mundial. 

"Ficar tão próximo de tudo é muito bonito. A vontade que dá é de estar lá dentro. É muito bom ver jogadores campeões da Europa, da Ásia, de outros países também. É uma oportunidade de aprender um pouco mais com eles e levar o aprendizado para dentro do jogo", disse Juan. 

Além de atuar nos jogos, eles ainda participaram do ensaio da cerimônia de premiação do Mundial. Mateus se mostrou feliz em ter tocado na medalha de campeão. 

"Pode parecer algo pequeno, mas pegar a medalha, vê-la de perto, foi sensacional. A gente que só via pela televisão. Foi bacana também participar daquele momento", declarou. 

Juan também espera que um contato futuro com a medalha novamente, já como atleta. 

"A sensação foi muito boa. Espero que um dia seja de verdade. É o que falam, uma brincadeira sempre tem um fundo de verdade e esperar realizar este sonho um dia", concluiu.