Demissões fazem lucro da Petrobras cair 30% em 2014

Resultado teria sido pior se não fosse o aumento da gasolina

iG Minas Gerais |

Todo vapor. P-61, em Angra dos Reis
Thelma Vidales
Todo vapor. P-61, em Angra dos Reis

São Paulo. O impacto negativo de R$ 1,6 bilhão oriundo do Plano de Incentivo ao Desligamento Voluntário (PIDV) contribuiu para que o lucro líquido da Petrobras encolhesse 29,9% no primeiro trimestre de 2014, em relação ao mesmo intervalo do ano passado, e atingisse R$ 5,393 bilhões no período. Na comparação com o quarto trimestre de 2013, o lucro acumulado de janeiro a março teve queda de 14,1%.

Além do efeito causado pelo PIDV, o lucro da estatal continua sendo limitado pelos recorrentes prejuízos apurados pela área de Abastecimento da Petrobras. Responsável pela atividade de importação de combustíveis e posterior revenda no mercado doméstico a preços inferiores aos praticados no exterior, a área acumulou prejuízo de R$ 4,808 bilhões entre janeiro e março.

O resultado trimestral teria sido ainda mais adverso não fosse o reajuste de 4% na gasolina e de 8% no diesel aplicado pela Petrobras em novembro do ano passado. Esta é a terceira vez consecutiva que o lucro trimestral da estatal cai na comparação com o mesmo período do ano anterior, a despeito dos diversos reajustes de combustíveis aplicados pela companhia desde que Maria das Graças Foster assumiu a presidência, no início de 2012.

Receita bateu recorde. Os aumentos nos preços dos combustíveis e a alta do patamar médio do dólar comercial no primeiro trimestre, quando comparado ao mesmo período de 2013, impulsionaram a receita líquida da Petrobras para um novo recorde trimestral, de R$ 81,545 bilhões. O resultado é 12,4% superior ao reportado pela estatal no primeiro trimestre de 2013 e ficou 0,6% acima do antigo recorde, de R$ 81,028 bilhões no quarto trimestre de 2013.

O Ebitda (lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortizações) ajustado da companhia, indicador que melhor dimensiona a capacidade de geração de caixa de uma empresa, totalizou R$ 14,349 bilhões no trimestre, queda de 11,6% sobre o mesmo período do ano passado. Já o resultado financeiro foi negativo em R$ 174 milhões no primeiro trimestre, contra uma receita financeira líquida de R$ 1,390 bilhão no mesmo intervalo de 2013.

Dívida. A alavancagem líquida da Petrobras, medida pela relação entre endividamento líquido e patrimônio líquido, fechou o primeiro trimestre em 39%, acima do patamar de 35% desejado pela estatal. O indicador havia rompido a barreira de 35% no terceiro trimestre do ano passado, ao atingir 36%.

Números

R$ 5,393 bilhões foi o lucro no 1º trimestre

R$ 81,5 bilhões foi a receita no trimestre, que é recorde

R$ 4,808 bilhões foi o prejuízo com importação de combustível

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave