Embates entre PSB e Rede afetam outros quatro Estados

iG Minas Gerais |

Marina briga para manter indicados da Rede em quatro Estados
José Cruz/Agência Brasil - ABr
Marina briga para manter indicados da Rede em quatro Estados

O impasse entre dirigentes do PSB e militantes da Rede abrigados na legenda causa conflitos em Minas, mas também é situação comum em pelo menos outros quatro Estados. No Pará, no Mato Grosso do Sul, em Santa Catarina e em São Paulo, o PSB tenta arranjar soluções que fogem dos nomes apoiados pela Rede.

No Pará, o PSB caminha para apoiar a reeleição do governador Simão Jatene (PSDB) e pode até mesmo lançar candidato próprio, mas que não seja o ambientalista Marcelo Aiub, aprovado em assembleia pela Rede. No Mato Grosso do Sul, os tucanos também são alvo de aliança por parte do PSB. O deputado federal Reinaldo Azambuja (PSDB) pode receber apoio dos socialistas, mesmo com a indicação da professora Tatiana Ujacow (Rede).

A situação se repete em Santa Catarina, onde o PSB tenta emplacar apoio à reeleição de Raimundo Colombo (PSD), e a Rede confirmou a indicação da ambientalista Míriam Prochnow.

Em São Paulo, maior colégio eleitoral do país, dirigentes do PSB divulgaram manifesto em que pedem a Eduardo Campos autorização para apoiar a reeleição de Geraldo Alckmin (PSDB) e receber, em troca, o cargo de vice na chapa. A ex-ministra Marina Silva já revelou que no palanque do tucano ela não sobe. O impasse é tão grande que o PSB pediu que a Rede apoie um candidato adversário, o filósofo Wladimir Safatle (PSOL).

Marina, no entanto, disse ontem que já há uma definição da coligação para ter candidato próprio no Estado, ainda que o nome não tenha sido escolhido. Segundo ela, a indicação sairá de uma lista tríplice, com um nome da Rede, um do PSB e outro do PPS. (LP)

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave