Preservar tradição e melhorar prática, os desafios

iG Minas Gerais |

Carregado de cultura e tradição, o queijo canastra é produzido há mais de 200 anos em Minas Gerais. Parte dessa tradição está na maneira como ele é fabricado, o que, apesar de garantir o sabor tão famoso, ainda mantém em aberto discussões sobre higiene, boas práticas de produção e a legislação federal.

É possível aliar os aspectos culturais às boas práticas de fabricação do queijo Minas, acredita a pesquisadora Mayra Silva Diniza. “Não acredito que seja um processo fácil, mas se houver a integração entre o poder público, a ciência, os saberes e realidade locais, isso é possível”.

A pesquisadora diz que cada queijo fabricado pelos mineiros é único. “São necessárias iniciativas que visem melhorar as técnicas, mas respeitando as particularidades desse alimento”, afirma.

O queijo é feito com leite cru. A legislação federal não permite comercializar queijos produzidos com leite cru, a menos que sejam maturados por 60 dias. No caso do queijo Canastra, a maturação ocorre por, no máximo, 30 dias. O Instituto Mineiro de Agropecuária (IMA) recomenda, no mínimo, 21 dias de cura.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave