O silêncio é parte da escrita de Elizabeth Gontijo, que lança obra na terça-feira

Escritora vai autografar “Corpo à Vela”, que sai pela 7 Letras

iG Minas Gerais | Deborah Couto |

A poeta Elizabeth Gontijo é também formada em artes plásticas
Arquivo pessoal
A poeta Elizabeth Gontijo é também formada em artes plásticas

A poeta Elizabeth Gontijo é formada em artes plásticas pela escola Gignard. Mas sua vocação pela escrita fala alto desde cedo “Gostava de escrever desde o curso primário. A escola em que estudei me estimulava muito”, conta ela. Elizabeth lança terça-feira (13) sua sétima obra, “Corpo à Vela”, às 19h, no Minas Tênis Clube (rua da Bahia 2244), com entrada franca.

Pintora e ilustradora, Elizabeth, no entanto, começou a publicar livros em 1992. “Fui muito estimulada. Sempre escrevi em cadernos que deixava em casa e meu marido, que gosta muito de ler, me incentivou a publicar. Acabei seguindo essa carreira”, diz a poeta. Carreira esta que já é longa e rendeu-lhe prêmios e elogios de Manoel de Barros e Bartolomeu Campos de Queirós.

As cenas prosaicas do cotidiano e as memórias de infância estão entre seus temas mais recorrentes, tratados com superior sensibilidade e a ciência exata de onde encaixar os silêncios. “O silêncio é parte fundamental da poesia e uma busca constante. Ele existe antes da palavra, já disse Clarice Lispector”, afirma Elizabeth, que conta também com a maturidade para se expor com leveza. “Os anos de trabalho me trouxeram liberdade. Consigo me importar menos com o olhar do outro. Esse tipo de amadurecimento a vida traz para a gente”, afirma.

Apesar da maturidade, segundo a poeta, uma coisa não mudou em sua escrita. “Existe um ponto secreto e misterioso em minha poesia que estou constantemente rodeando. Essa busca sempre existiu e ela é a própria poesia”, diz.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave