Um mergulho na alegria

Atrações de tirar o fôlego dão o tom da capital baiana, com festas o ano todo

iG Minas Gerais | JOÃO PAULO COSTA |

Foliões se divertem com o desfile do bloco Chiclete com Banana, no circuito Barra-Ondina, em Salvador
UESLEI MARCELINO COPERPHOTO/AE
Foliões se divertem com o desfile do bloco Chiclete com Banana, no circuito Barra-Ondina, em Salvador

A Baía de Todos os Santos, que abrange Salvador e o Recôncavo Baiano, é ideal para os turistas que curtem passeios em que a cultura local se sobressai e, ainda, que gostam de ecoturismo e de esportes náuticos. Maior baía tropical do Atlântico, esse reduto seduz também por sua gente, sempre de bem com a vida, e pelas charmosas praias. Os destaques desse pedacinho, voltado para o divertimento, ficam por conta da capital, Salvador, da ilha de Itaparica e pelas cidades de Santo Amaro e Nazaré.

Salvador está entre as principais metrópoles do país. Contudo, a capital baiana ainda guarda uma cultura popular única, que se mescla com casario colonial e prédios históricos, verdadeiros cartões-postais. No centro antigo, está o maior conjunto arquitetônico barroco da América Latina.

O Pelourinho, eleito Patrimônio Cultural da Humanidade pela Unesco, as igrejas de Nossa Senhora do Rosário dos Pretos e de São Francisco, assim como a Catedral Basílica, não podem deixar de ser visitados.

Um show

Também não podem ficar de fora o museu Afro, a praça Castro Alves, a casa de Jorge Amado e o emblemático elevador Lacerda, que liga a Cidade Alta à Cidade Baixa, onde fica o famoso Mercado Modelo.

Ainda no centro histórico, o turista mais distraído pode se surpreender com apresentações espontâneas de blocos afros locais, como Olodum, Ilê Aiyê e Malê Debalê.

Há outras opções imperdíveis, como andar de bicicleta no parque de Pituaçu, tomar banho de mar na piscina natural da praia de Porto da Barra, caminhar pelo circuito Barra-Ondina e mergulhar na Baía de Todos os Santos. Um show à parte, o pôr do sol no Farol da Barra é simplesmente deslumbrante.

Festanças

Considerada uma das cidades mais miscigenadas do Brasil, Salvador tem características próprias. Por ter recebido uma rica herança cultural dos índios nativos e de escravos africanos e colonizadores europeus, a capital baiana é marcada por costumes, arte, folclore e crenças só vistos lá.

Para quem curte uma boa festa, Salvador é um deleite só. Dona de uma musicalidade única, a cidade oferece aos turistas o ano todo milhares de opções, que vão desde o tradicional Carnaval, com trios-elétricos, shows, festivais musicais e festas juninas a celebrações religiosas e populares, caracterizadas pelo sincretismo religioso.

Gastronomia

No quesito originalidade, a gastronomia baiana – que também resulta de sua miscelânia de heranças culturais – é um atrativo à parte. Exótica, de temperos marcantes, ela oferece pratos como vatapá, sarapatel, acarajé e abará para o visitante saborear. Sem esquecer, é claro, a famosa moqueca de peixe, um prato que, na Bahia tem como “toque” o azeite de dendê – aliás, baianos e capixabas “disputam” sua paternidade. (JPC)

Destaques do Recôncavo Baiano

Itaparica

Cenário de “O Sorriso do Lagarto”, do escritor João Ubaldo Ribeiro, a ilha de Itaparica é cercada por barreira de recifes e possui estância hidromineral, vegetação tropical e um raro patrimônio cultural e histórico. É ideal para os amantes de natureza e aventura.

Santo Amaro

Terra de Caetano Veloso e de Maria Bethânia, Santo Amaro possui um interessante conjunto arquitetônico, com destaques para a igreja de Nossa Senhora da Purificação e o museu do Recolhimento dos Humildes, com um rico acervo de arte sacra.

Nazaré

Também conhecida como Nazaré das Farinhas, Nazaré ficou famosa pela produção de farinha de copioba e por ser a cidade natal do ex-jogador de futebol Vampeta. Os atrativos turísticos são: pedra da Moça, cachoeira do Roncador e trilha dos Engenhos. Festanças são um chamariz de visitas.

 

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave