‘Pregos’ e doces em Lisboa

iG Minas Gerais | Renato Quintino |

Os “pregos” da Pregos na Peixaria são um excelente programa na capital portuguesa
Renato Quintino
Os “pregos” da Pregos na Peixaria são um excelente programa na capital portuguesa

Assim como não é tão simples encontrar doces típicos mineiros em Belo Horizonte, é difícil encontrar doces conventuais tradicionais em Lisboa. O pastel de natas é mais fácil, mas, nos restaurantes modernos da cidade, as sobremesas estão longe de um “toucinho do céu”, indo de creme de mascarpone, tortas de chocolate a cremes caramelizados.

O estrangeiro, em geral, valoriza mais a comida de um lugar do que os moradores locais, o que é uma pena. Felizmente, não faltam opções para se comer um bom bacalhau na cidade: a lista é grande, e a qualidade, de muito boa a excelente (mesmo porque um bacalhau malpreparado em Lisboa seria um acinte).

Além dos restaurantes tradicionais e francamente turísticos, uma visita à cidade traz muitas oportunidades de comer muito bem e a preços razoáveis. O chef iugoslavo (ele mesmo se intitula dessa forma) Ljubomir Stanisic é uma das maiores celebridades da gastronomia local, com seu 100 Maneiras, no bairro Alto. A comida é impecável, o ambiente austero, o serviço é ótimo, com um staff bonito e simpático, e o preço mais elevado é justificado pela qualidade do preparo dos pratos e pela sofisticação do menu. Vale – e muito – a experiência.

José Avilez, o chef do momento, assina agora também o Café do teatro São Carlos (destaque em “Os Maias”, de Eça de Queiroz), próximo à praça Luiz de Camões. Distantes menos de dois quarteirões pequenos, Avilez comanda também o estrelado Bel Canto e o simpático e excelente Cantinho do Avilez, onde prepara, com perfeição, clássicos como o bife à lisboeta (contra-filé de qualidade com presunto cru, pimenta preta e batatas fritas), peixes frescos e algumas ótimas opções de “pregos”.

Populares

Um prego (sanduíche de pão com carne) é um grande e delicioso clássico, que está pela cidade toda. Assim como chefs estrelados norte-americanos (e até franceses) arriscam suas versões de hambúrgueres, os lisboetas criam suas próprias versões “gourmets” de pregos.

Avilez tem no cardápio do Cantinho quatro opções deles, mas, para quem quiser uma degustação mais ampla, o novo Prego na Peixaria é especializado no assunto, com versões de bacalhau (postas grandes sobre pão com espinafre), carne vermelha, porco preto e presunto cru (feitos com pão correto, porque, afinal, prego que se preze é feito com o pão da ilha da Madeira, uma receita entre um pão sírio, uma ciabatta e um pão doce).

O restaurante fica próximo ao Shopping Amendoeiras, que, além de ser um dos melhores pontos de compras na cidade, tem a espetacular loja Casinha do Pão, onde, finalmente, são encontramos os (lá premiados) doces conventuais e um ótimo pão de ló.

Tradicionais

Lisboa também tem uma excelente hambugueria, a descolada To Burguer or Not to Burguer, no Chiado. E, no item bacalhau, os de As Salgadeiras (as donas não são salgadeiras, é o nome da rua), já indicado aqui, são imbatíveis.

Belém tem, além dos célebres pastéis de sua torre e do mosteiro dos Jerônimos, o imperdível Centro Cultural Belém, com programação de primeira em concertos clássicos e exposições relevantes, livrarias, café e restaurantes.

O cosmopolitismo lisboeta merece uma viajem exclusiva dos brasileiros.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave