Sada Cruzeiro revela pressão excessiva durante todo o Mundial

Levantador William admitiu que equipe não jogou uma só partida de forma tranquila na competição

iG Minas Gerais | DANIEL OTTONI |

Momentos após a derrota na semifinal do Mundial de Clubes para o Al-Rayyan, o abatimento era visível no rosto dos jogadores do Sada Cruzeiro, nesta sexta-feira.

Ainda tentando entender o que aconteceu na partida, alguns atletas não escondiam a grande decepção. “Podíamos ficar jogando contra eles até amanhã que a vitória não viria. O time deles foi montado às pressas, o que aumenta a frustração. Já o nosso atua junto há um bom tempo, tem conjunto, mas isso não valeu muito. Parabéns para eles que possuem grandes peças individuais”, comentou o oposto Wallace.

O capitão William tentava mostrar serenidade, sem se esquecer da pressão que o time carregou desde o começo do Mundial. “Assumimos demais a responsabilidade de jogar em casa, de ser o atual campeão. Agora, é difícil explicar. Não conseguimos nos soltar em nenhum momento, não fizemos uma só partida deste torneio tranquilos”, admitiu o armador.

Um dos fatores que fez a diferença para a vitória catariana foi a falta de responsabilidade que apareceu do outro lado. Francos atiradores, os atletas do time de Doha jogaram soltos a todo momento, postura bem diferente da demonstrada pelos celestes. “Eles estavam sorrindo, e é assim que deve ser. Diálogo não faltou da nossa parte, tentamos o que podíamos. Esporte tem dessas coisas”, lamentou o capitão.  

Leia tudo sobre: voleimundial de clubeswilliamderrotaal-rayyan