Polícia paulista identifica quinto suspeito de linchamento

Abel Vieira Batalha Júnior, 18, teria ajudado a amarrar e a arrastar a dona de casa no sábado (3) no Guarujá, em São Paulo

iG Minas Gerais | DA REDAÇÃO |

Fabiane era mãe de duas meninas e casada há 8 anos
Arquivo pessoal
Fabiane era mãe de duas meninas e casada há 8 anos

A Polícia Civil em Guarujá (no litoral de São Paulo) já identificou o quinto suspeito de participar do linchamento de Fabiane Maria de Jesus, 33, no sábado (3). Ele é considerado foragido da Justiça.

Abel Vieira Batalha Júnior, 18, ajudou a amarrar e a arrastar a dona de casa no bairro de Morrinhos, na periferia da cidade, segundo o delegado Luiz Ricardo de Lara Dias. O suspeito é mais conhecido como Pepê.

O delegado disse também, na noite de hoje, que as imagens obtidas pela polícia mostram o ajudante de pedreiro Jair Batista dos Santos, 35, que se entregou nesta tarde, empurrando Fabiane em direção ao mangue. Em depoimento, no entanto, ele negou participação no crime.

Além dos cinco já identificados, as investigações apontam, segundo a polícia, para ao menos outras três pessoas que participaram ativamente da morte de Fabiane, com golpes, chutes e outras agressões. Os quatro suspeitos presos foram indiciados sob suspeita de homicídio qualificado. Eles estão temporariamente em uma única cela da cadeia anexa ao 1º DP de Guarujá.

Segundo o delegado, a investigação se divide na análise de "dezenas" de vídeos do espancamento e nas oitivas com testemunhas que presenciaram o crime, a fim de identificar novos participantes.

Na entrevista à imprensa, o delegado reconstituiu uma sequência do linchamento. Segundo ele, Jair dos Santos é quem lança Fabiane no mangue e, em seguida, Valmir Dias Barbosa golpeia a cabeça dela com um caibro (pedaço de madeira).

Ontem, a polícia informou que o ajudante geral Lucas Rogério Fabrício Lopes, 19, passou com a bicicleta sobre a cabeça da vítima e que Carlos Alex Oliveira de Jesus, 23, usou uma corda para arrastar o corpo dela pela rua e a chutou.

Defesa

O advogado Marco Antônio Botelho, que faz a defesa dos suspeitos Barbosa, Jesus e Lopes, afirmou hoje não acreditar na inocência dos três, uma vez que há provas em vídeo da participação de seus clientes no crime.

"Eles têm de ser condenados, mas conforme a proporcionalidade de cada ato. Nenhum deles tem antecedentes criminais e, diante disso, vou tentar reduzir a pena e a tipificação do crime", disse.

O defensor de Jair dos Santos disse que o suspeito está "muito abalado". "No vídeo aparece a voz dele dizendo para todo mundo que [Fabiane] não era a mulher que todos procuravam. Ele estava lá para ajudá-la", afirmou o advogado.

Com Folha Press

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave