Belogorie toma susto, mas vence o UPCN de virada e vai à final

Equipe russa vai disputar uma decisão do Mundial pela primeira vez; já o time argentino vai brigar pelo segundo ano seguido pelo bronze

iG Minas Gerais | GABRIELA PEDROSO |

Belogorie vibrou muito com a conquista da vitória nesta sexta-feira
Douglas Magno/ O Tempo
Belogorie vibrou muito com a conquista da vitória nesta sexta-feira

O Belogorie Belgorod vai disputar a sua primeira final na história do Mundial de Clubes. O time russo, considerado um dos favoritos ao título desde o início do campeonato, confirmou a sua condição ao bater o UPCN de virada, nesta sexta-feira, por 3 sets a 1, pelas semifinais. O UPCN (ARG) chegou a sair na frente no placar após um grande início de jogo, mas não conseguiu manter o ritmo nas etapas seguintes e foi superado com parciais de 19/25, 25/14, 25/21 e 25/20. Sendo assim, pelo segundo ano seguido, a Rússia terá um representante na grande final do Mundial, neste sábado, às 19h. Já o UPCN agora vai brigar pelo bronze, no mesmo dia, às 16h30. Os adversários dos dois times sairão do duelo entre Sada Cruzeiro e Al-Rayyan. O saque forte para cima do rival foi a principal arma do UPCN no começo do jogo. Com o serviço encaixando bem, o time argentino deu trabalho para o levantador Travica, que, sem o passe na mão, tinha dificuldades para distribuir as jogadas no Belogorie. Quem agradeceu foi o bloqueio dos hermanos, que parava na rede os principais jogadores do time, como o oposto Grozer e o ponteiro Tetyukhin. Não bastasse a vantagem na rede, o levantador Gonzalez conseguia distribuir bem as jogadas no UPCN e fazer o ataque funcionar. As bolas rápidas pelo meio, com Junior e Ramos, mostravam-se as mais eficazes. Além disso, o UPCN também contava com o grande número de erros dos russos para pontuar. No primeiro set,  nove dos pontos feitos pelo time argentino foram de falhas do Belogorie, que acabou superado em 25 a 19. A derrota no set inicial colocou a equipe do Belogorie nitidamente tensa. Pela primeira vez neste Mundial, os russos deixaram o nervosismo aflorar e mostraram que não são tão frios a ponto de ignorar a superioridade do adversário na etapa. E foi na base da emoção que o Belogorie reagiu na partida. Em uma boa passagem de Grozer pelo saque, o time abriu três pontos de vantagem logo no início da segunda etapa. O oposto comemorou muito e chamou a equipe para ir para cima. Os russos atenderam ao "comando" e foram com tudo contra os argentinos, que agora pareciam outro time, desconcentrado e sem a mesma motivação da primeira parcial. O resultado: 25 a 14 para o grupo europeu. Agora, os jogadores do Belogorie tinham aprendido a lição e sabiam que se subestimassem o adversário em mais um jogo do Mundial poderiam pagar caro. A displicência com que tratou equipes como o Matin Varamin (IRI) e o Guaynabo Mets (PUR) foi deixada de lado e o time russo continuou na pressão no terceiro set. A parcial foi marcada pelo equilíbrio até o momento de sua definição, quando o Belogorie arrancou para fazer 25 a 21 e virar o jogo. O quarto set continuou com os dois times disputando arduamente cada ponto. O UPCN sabia que não havia mais espaços para erros e voltou a pressionar o rival. O Belogorie, porém, estava determinado a assegurar a vitória e não vacilou, decretando o fim do jogo e a presença em sua primeira final de um Mundial.

Leia tudo sobre: voleimundial de clubesbelogorieupcnvitoriafinal