Pacientes reclamam de falta de medicamentos em unidade

Segundo eles, situação no posto de saúde piorou depois do início da greve dos servidores da Saúde, desde o dia 30 de abril

iG Minas Gerais | Lisley Alvarenga |

Usuário diz que foi maltratado por um funcionário da unidade
Moisés Silva
Usuário diz que foi maltratado por um funcionário da unidade

Moradores do bairro São João, em Betim, na região metropolitana de Belo Horizonte, reclamam da falta de medicamentos na Unidade Básica de Saúde (UBS) Petrópolis, posto de saúde que atende os cidadãos da região.

Segundo Anderson Humberto Fernandes Rocha, de 32 anos, ele tem diabetes há quatro anos e precisa aplicar, diariamente, insulina – medicamento responsável pela redução da taxa de glicose no sangue. “Faço 40 aplicações pela manhã e mais dez à tarde. Para isso, preciso de utilizar seringas descartáveis. Toda vez que vou no posto do Petrópolis, os funcionários me informam que as seringas estão em falta na unidade. Também tomo um medicamento para dor no estômago e, quando preciso dele, não tem na unidade. É uma situação complicada.”, desabafou.

Ainda conforme ele, a tia, de 53 anos, que tem deficiência, também depende de medicamentos controlados que não são encontrados na unidade. “Lá falta tudo. Depois que começou a greve, a situação piorou”.

Outro morador revoltado é Vandeir Donizete Sabino, de 41 anos. Ele conta que, depois de se curar de uma pneumonia, tem crises graves de asma e que, para amenizar a falta de ar, precisa utilizar uma bombinha de asma. “Fui no posto para pegar o medicamento anteontem e, apesar de ter dois frascos do remédio, não quiseram me dar. Fui maltratado pelos funcionários”.

Resposta

A Prefeitura de Betim, por meio da Secretaria Municipal de Saúde, informou que a distribuição dos medicamentos da UBS Petrópolis, que também atende os moradores do bairro São João, é realizada pela secretaria e que não há déficit de medicação.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave