Russos dizem que só vão falar "quando o serviço for finalizado"

Capitão e treinador do Belogorie Belgorod foram questionados sobre o silêncio dos jogadores durante o Mundial de clubes

iG Minas Gerais | JOSIAS PEREIRA |

Equipe russa superou força da torcida turca para garantir presença no Mundial
DIVULGAÇÃO - CEV
Equipe russa superou força da torcida turca para garantir presença no Mundial

Classificada na primeira posição do grupo A do Mundial de clubes após três vitórias, a equipe do Belogorie Belgorod, da Rússia, vem chamando atenção não só pela qualidade de seus jogadores, mas também por certas atitudes um tanto que provocativas aos adversários e a relação ambígua com a imprensa. Reservados, os russos não são muito adeptos das entrevistas pós-jogo. Questionado sobre esta peculiaridade em um dos raros momentos de contato com os jornalistas, o capitão e ponteiro da equipe Teras Khtey foi direto, mas revelou uma espécie de "pacto" para seguir concentrado apenas nas vitórias.

"A gente não gosta muito de falar (com a imprensa) porque o nosso 'serviço' na competição ainda não acabou. Quando finalizarmos este 'serviço' aí sim nós vamos falar", declarou o jogador.

Apesar de o questionamento sobre o silêncio do Belogorie ter sido direcionada ao capitão da equipe, a pergunta também foi respondido pelo treinador Gennady Shipulin. Visivelmente incomodado pela presença na sala de imprensa, ele também foi direto.

"Nós não temos tantas pessoas com quem falar", finalizou.

O Belogorie Belgorod entra em quadra nesta sexta-feira, às 17h30 (de Brasília), no Ginásio do Mineirinho, para encarar os argentinos do UPCN em confronto válido pelas semifinais do Mundial de clubes. A cobertura completa do torneio internacional você acompanha no Super FC.

Leia tudo sobre: mundial de voleivoliebelogorierussos