Uma casa no meio do sonho

Aposentado que mora no terreno diz que torce para que seu time do coração possa fazer a arena

iG Minas Gerais | Fernando Almeida Victor Martins |

Terreno. Aposentado Zilton mora no local onde o Galo sonha em construir seu estádio e que fica no bairro Califórnia, perto da Via Expressa
LEO FONTES / O TEMPO
Terreno. Aposentado Zilton mora no local onde o Galo sonha em construir seu estádio e que fica no bairro Califórnia, perto da Via Expressa

O atleticano Zilton José Vicente, 66, e sua família moram em uma casa simples e, até o meio desta semana, não sabiam que residem no terreno onde o sonho do Clube Atlético Mineiro em construir um estádio poderá se tornar realidade.

O local de pouco mais de 100 mil m² pertencia à Habit Construtora, mas, segundo apurou O TEMPO , foi vendido por cerca de R$ 8 milhões à MRV, que, inclusive, contratou a Farkasvölgyi Arquitetura pelo preço de R$ 500 mil para a elaboração inicial do projeto do estádio atleticano.

Patrocinadora do Atlético, a MRV não confirma a investida, ou mesmo a parceria com o Banco BMG – que estampa a área nobre da camisa atleticana – para a construção da arena. O Galo também não se pronuncia sobre o assunto.

Rubens Menin, presidente do conselho de administração da construtora, porém, desconversa sobre o assunto, mas fica na torcida para que o clube de seu coração consiga um dia ter uma “casa própria”.

“Somos apenas patrocinadores, parceiros do Atlético. É torcer para que isso dê certo. Mas não há o que confirmar; a única pessoa que pode te responder mesmo é o presidente (do Atlético, Alexandre) Kalil”, disse Menin à reportagem.

Enquanto nada sobre a futura construção do estádio – que deve ficar pronto em 2017, se tudo acontecer dentro do cronograma inicialmente traçado – é exposto pelas partes envolvidas, resta a Zilton esperar e continuar na torcida pelo seu clube.

“Para quem é torcedor isso (construir um estádio no local) será muito bom. Para mim também deverá ser bom, pois aqui no meio deste terreno não é muito seguro, e eu prefiro sair e continuar tendo a minha casa”, afirma o aposentado, que recebeu a reportagem de O TEMPO nessa quinta. Zilton mora no terreno com sua filha Michele Gomes, 32, sua neta Julia, 9, e seu genro Marcelo, 35.

Negociação. Advogado da família de Zilton, Julio Maurício Madureira explica que um acordo é moldado entre seus clientes, a Habit e um representante de antigos donos do local.

“Nós não temos a informação sobre estádio do Atlético, o que, de certa maneira, modifica o nosso cenário. Estamos em busca é de um acordo com a Habit, que não deseja o Zilton e sua família no local”, afirma Madureira, que explica o histórico da família.

“Temos uma documentação farta que prova que eles constituem moradia lá desde 1976. São três gerações de uma família que foi formada naquele lugar; então eles têm direitos que temos que resguardar”, afirma o advogado da família.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave