Patrimônio da cidade está em situação deplorável

Bens de valor patrimonial de Contagem se encontram em estado de precariedade como por exemplo, o Cine Teatro ,que está interditado, e a Casa dos Cacos, que está abandonada

iG Minas Gerais |

2014. 
Atualmente, Estação Bernardo Monteiro está em situação de precariedade
CHARLES SILVA DUARTE / O TEMPO
2014. Atualmente, Estação Bernardo Monteiro está em situação de precariedade

Contagem é conhecida por seu campo industrial grandioso e ter alta representatividade econômica para o Estado. Porém, a cidade também tem se tornado famosa por não preservar sua memória, como é possível constatar pelo descaso em que se encontram várias estruturas históricas do município.

Casa dos Cacos, Cine Teatro Municipal, os prédios da Estação Bernardo Monteiro e da administração da antiga fábrica Itaú e a Capela de Imaculada Conceição e Santa Edwiges, que deveriam estar preservados, se encontram interditados ou em estado precário.

O Cine Teatro Municipal Tony Vieira, inaugurado em 1969 pelo então prefeito Francisco Firmo de Mattos Filho, está fechado desde o início de 2013, quando foi interditado por estar com danos na estrutura interna. Tombado em 2001, o espaço cultural tem capacidade para 450 pessoas.

Já a Casa dos Cacos, obra de Carlos Luiz de Almeida, e motivo de orgulho para Contagem, hoje é sinônimo de tristeza. De 1963 até 1989, o artista, que já é falecido, resolveu transformar seu tempo livre em arte. Foram mais de 27 anos de trabalho até que o local, no bairro Bernardo Monteiro, ficasse completamente coberto por cacos de louça. No entanto, hoje, o espaço só pode ser contemplado pela parte de fora, já que está fechado para visitações, devido ao estado precário de conservação.

Mais um espaço que está completamente abandonado, é o prédio da antiga estação ferroviária Bernardo Monteiro. A estrutura, inaugurada em 1910, é mais velha que o próprio município. Em 2010, o então deputado estadual, e hoje prefeito, Carlin Moura, visitou o local, a pedido de moradores. Eles solicitaram que o espaço fosse revitalizado e transformado em um centro de convivência comunitária, mas o local continua em ruínas.

Já a capela de Imaculada Conceição e Santa Edwiges, no bairro Bela Vista, foi tombada em 2000, e está com risco iminente de arruinamento. O templo, construído na década de 1940, em regime de mutirão, possui vitrais com representação de cenas bíblicas em suas paredes laterais e fachadas.

Em situação ruim também está o prédio Administrativo da antiga Fábrica de Cimento Itaú. O local, na avenida David Sarnoff, está repleto de pichações, que danificam a fachada.

De acordo com a Fundac, a má situação de conservação desses prédios é uma herança das administrações anteriores. Em nota, foi informado que “um patrimônio não se deteriora de um ano para o outro” e que o órgão tem buscado iniciativas visando à guarda, à preservação e à promoção dos bens culturais.

Dos bens citados na matéria, somente a Casa dos Cacos e o Cine Teatro pertencem à prefeitura, sendo os outros de responsabilidade privada.

Sobre a restauração da Casa dos Cacos, a Fundac informou que, em parceria com o Conselho Municipal do Patrimônio Artístico e Cultural de Contagem (Compac) deliberou que a verba do Fundo Municipal do Patrimônio Cultural de 2013, seria destinada a contratação de empresa para elaboração do projeto de restauração da casa. Após licitação, o projeto já está sendo elaborado com previsão de finalização para meados de 2014.

Já para o Cine Teatro Municipal de Contagem, informou que o Instituto de Planejamento Urbano do Município de Contagem já elaborou o Termo de Referência para licitação do projeto de restauro, sem citar o prazo para conclusão.

Em relação ao prédio Administrativo da antiga Fábrica de Cimento Itaú, foi informado que Compac deliberou que os proprietários da estrutura sejam notificados e os mesmos têm 20 dias para implantar ações de proteção.

Sobre a capela de Imaculada Conceição e Santa Edwiges, mesmo sendo de propriedade da Arquidiocese de Belo Horizonte, foi informado que o Compac deliberou que fosse elaborado, com verba do Fundo Municipal do Patrimônio Cultural, o projeto de restauro, também sem informar prazos.

E, em relação a situação deplorável da Estação Bernardo Monteiro (que não é tombada e sim inventariada desde 1984 pelo Iepha), a Fundac informou que o edifício pertence ao espólio da antiga Rede Ferroviária Federal e foi cedida à Ferrovia Centro Atlântica (FCA), desde 1996. Devido à sua importância para o município, a prefeitura manifestou o interesse na cessão do imóvel para a cidade. A Rede Ferroviária Federal e a Ferrovia Centro Atlântica estão sendo notificadas pelo Compac para que sejam tomadas as devidas providências.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave