Injeção de botox pode diminuir sintomas de depressão, diz estudo

Impedir o músculo de mostrar tristeza pode levar o cérebro a não reconhecê-la

iG Minas Gerais | Da redação |

Aplicações de botox podem virar nova possibilidade de tratamento de depressão
Ricardo Moraes
Aplicações de botox podem virar nova possibilidade de tratamento de depressão

Aplicação da toxina botulínica no rosto impede caras feias, carrancas e rugas, mas um estudo publicado no “Journal of Psychiatric Research” sugere que o resultado da paralisação dos músculos da face talvez não seja somente estético, mas trataria sintomas de depressão.

No estudo liderado por Norman Rosenthal, professor de psiquiatria da Georgetown Medical School, nos Estados Unidos, 74 pacientes com casos graves de depressão receberam injeções de solução salina e de botox nos músculos da testa, impedindo qualquer movimento. Seis semanas depois, 52% dos pacientes que receberam a injeção de botox mostraram diminuição da depressão. No grupo de controle, que recebeu solução salina, a diminuição dos sintomas foi de 15%.

Esse não é o primeiro estudo a sugerir que a aplicação do botox tenha resultados contra a depressão. Outras pesquisas publicadas nos últimos anos encontraram efeitos semelhantes. Michael Lewis, da Universidade de Cardiff, conta que pacientes que não sofrem de depressão franziam menos a testa e se sentiam melhor do que pacientes que tiveram botox injetado na testa. M. Axel Wollmer, da Universidade da Basel, descobriu que a injeção de botox é mais eficiente do que o placebo no tratamento de depressão.

Mudança no humor. Pesquisadores acreditam que o resultado da aplicação do botox se deve à influência da expressão facial sobre o cérebro. Usando uma teoria exposta por Charles Darwin no livro “A Expressão de Emoções no Homem e nos Animais”, pesquisadores defendem que sentimentos, como raiva, tristeza e felicidade, não venham do cérebro, mas do músculo, e, ao paralisar o músculo e o impedir de demonstrar tristeza, sintomas de depressão diminuiriam.

Se a teoria dos pesquisadores for comprovada, ela vai contra um dos maiores desafios ao tratar pessoas com depressão. De forma geral, os pacientes insistem em somente voltar a socializar e a fazer atividades dignas de sorrisos após começarem a se sentir melhor. Caso o estudo fosse comprovado, os terapeutas teriam que incentivar seus pacientes a inverter a relação de causa e consequência e a sair de casa, buscando atividades que podem acabar com a “cara ruim”.

Tratamento. Outro ponto levantado pela pesquisa é que, se o botox realmente for um tratamento para a depressão, é possível haver centenas de milhares de pessoas em todo o mundo que estão tratando de uma depressão que nem sequer sabiam ter.

Outros usos Além de tirar as marcas da idade, o botox tem outros usos clínicos: 1 - Tratamento de paralisia 2 - Combate à enxaqueca crônica 3 - Tratamento de bexiga hiperativa 4- Tratamento de hiperhidrose (suor excessivo) palmar e axilar 5 - Tratamento de estrabismo

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave