‘Especialista em derrotar o PT’

Aécio Neves responde Marina Silva, lembrando que já derrotou os petistas por sucessivas vezes

iG Minas Gerais |

Rebate. Aécio Neves falou sobre as declarações de Marina Silva e disse que ela divide a oposição
George Gianni/ObritoNews
Rebate. Aécio Neves falou sobre as declarações de Marina Silva e disse que ela divide a oposição

São Paulo. Pré-candidato do PSDB à Presidência, o senador Aécio Neves (MG), afirmou, nesta quinta, que todos os nomes que concorrem ao Planalto devem ter “a humildade” de deixar a decisão sobre sua vitória ou derrota “para o eleitor”. A fala de Aécio foi uma resposta à entrevista da ex-senadora Marina Silva, candidata a vice na chapa do ex-governador Eduardo Campos (PSB-PE). Marina disse que a campanha de Aécio tem “cheiro de derrota”.  

O tucano evitou atacar diretamente a ex-senadora, mas enviou diversos recados. Insinuou que Marina cai na “armadilha do PT, que é dividir a oposição”. “Não vou cair na armadilha do PT, que é dividir a oposição. Eu concordo em grande parte com o que a Marina disse. Nós temos divergências e não devemos ter receio de discutí-las, como não devemos ter receio de mostrar nossas convergências”, disse Aécio. “Apenas acho que, em relação a resultado eleitoral, quem ganha ou quem perde, todos nós temos que ter a humildade de deixar essa decisão para os eleitores”, concluiu Aécio. Logo depois, o senador disse que se tornou “especialista em derrotar o PT sucessivamente”. “O que posso dizer é que, ao longo dos últimos 15 anos, se eu me especializei em alguma coisa, foi em derrotar o PT sucessivamente. Acho que ninguém tem hoje no Brasil um know-how de ter imposto tantas derrotas ao PT como eu”, afirmou.

Mais cedo, o senador Aloysio Nunes (PSDB-SP), cotado para a vice na chapa de Aécio Neves (PSDB), acusou a ex-senadora Marina Silva de “jogar água no moinho do PT” ao criticar o pré-candidato tucano ao Planalto.

Para Aloysio Nunes, a vice de Eduardo Campos (PSB) revelou “amargura” e ajudou a campanha da presidente Dilma Rousseff (PT) à reeleição. “Campos tem, mais do que Marina, a percepção de que o que interessa à oposição é a mudança do governo. Quem confunde as coisas joga água no moinho do PT”, disse o senador tucano.

Maranhão. Nesta quinta, o senador participou de um encontro com empresários do setor de máquinas e equipamentos. Nesta sexta ele visita Maceió (Alagoas) e São Luís, no Maranhão.

Em São Luís, o tucano deverá anunciar que os tucanos apoiarão o PCdoB na disputa estadual. “Vamos lá fazer nossa grande aliança com o PCdoB”, disse ele.

O PSDB indicará o candidato a vice na chapa do comunista Flávio Dino, ex – presidente da Embratur. O escolhido para a dobradinha é o deputado federal Carlos Brandão, presidente do PSDB maranhense. A aliança deve enfrentar o candidato de José Sarney, que tem o apoio dos petistas e de alguns de seus aliados.

Entenda

Juntos. A aproximação entre os tucanos e o PCdoB ocorreu depois que o PT decidiu apoiar o candidato da família Sarney no Estado. O PSB também deve apoiar Dino e a frente contra Sarney.

Manobra para acelerar votação do IR

Brasília. O Palácio do Planalto desencadeou um plano para antecipar a aprovação no Congresso da correção da tabela do Imposto de Renda e, assim, tentar evitar que o pré-candidato do PSDB, senador Aécio Neves, fature politicamente. A pedido da presidente, o senador Eunício Oliveira (PMDB) incorporou o reajuste de 4,5% do IR no relatório de uma medida provisória que altera a legislação tributária. Isso permite que a proposta possa ser aprovada rapidamente, antes da apresentada por Aécio Neves.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave