AL-Rayyan terá de "driblar" entrosamento do Sada Cruzeiro nas semi

Equipe do Catar contratou algumas estrelas somente para a disputa do Mundial, tendo pouco tempo para formar um verdadeiro grupo

iG Minas Gerais | DÉBORA FERREIRA |

O Al-Rayyan-CAT vai enfrentar, nesta sexta-feira, às 20h30, seu adversário mais difícil neste Mundial. O clube cruzará com o Sada Cruzeiro em um dos duelos das semifinais. As duas equipes trazem grandes nomes no elenco, mas os celestes, atuais campeões, ainda tentam tirar vantagem do entrosamento conquistado pelo grupo.

O próprio time catariano admite que precisará de um trunfo – provavelmente será o cubano Simon, maior nome do time até agora – para bater os donos da casa.

“Sinceramente, sem hipocrisia nenhuma, o Sada Cruzeiro está na nossa frente mesmo. É um grupo que treina junto há muito tempo, ganhou tanta coisa junto, e, querendo ou não, nós só estamos juntos há três dias. Não dá para dizer que nosso time é o pior do mundo, porque isso também não é verdade, mas com certeza a diferença de tempo será levada em conta, porque são clubes de alto nível. Estamos um pouco atrás, mas isso não quer dizer que a gente não vai buscar a vitória”, explicou o levantador brasileiro Rapha.

Com tão pouco tempo para se conhecerem, os asiáticos tiraram proveito dos jogos em que participaram na primeira fase. Foram 11 sets disputados em três partidas, sendo duas vitórias em sets diretos e uma decisão no tie-break.

“A gente não tem muito tempo para treinar, e quando é um jogo de cinco sets a gente pode treinar mais. Creio que isso é a coisa mais importante”, disse o atleta.

Na reta final da competição, a tendência é que a torcida para o Sada, que incomodou bastante na quarta-feira, esteja ainda maior na sexta-feira. Mas, para um jogador experiente e acostumado a decisões, não haverá tanta interferência.

“(O Mineirinho lotado) Para mim não será muito diferente, estou muito feliz de estar aqui, jogando no meu país, reencontrar meus amigos, participar de um campeonato como esse. Para mim, esse é o principal”, completou o levantador.

Leia tudo sobre: voleimundial de clubesal-rayyandificuldadesSada Cruzeiro